Total de visualizações de página

sábado, 14 de janeiro de 2017

Via Orla

Memória

A chacina da Cazanga.

A chacina da Cazanga, ocorrida nas proximidades da praia de Itamambuca, em Ubatuba, em 1989, foi um dos casos mais incríveis que já cobri. O crime, mais tarde, em 2000, foi destaque no programa Linha Direta, da TV Globo, que com a história quebrou recordes de audiência, chegando aos 41 pontos no Ibope. Uma história difícil de ser esquecida. 

Trabalhava no Jornal ValeParaibano, de São José dos Campos, e como sempre, naquela época, fui um dos primeiros jornalistas a entrar na história. Tudo começou no dia 23 de dezembro de 1989 quando uma dona de casa de nome Cirlene Alves de Oliveira Souza foi morta a tiros, na região Norte de Ubatuba. O autor do crime não foi identificado e nem os possíveis suspeitos.

No dia 23 de janeiro de 1990, no inicio da noite, dezessete pessoas que deixavam a igreja Assembleia de Deus, na bairro da Cazanga, foram vítimas de vários disparos de tiros, quando caminhavam por uma estrada de terra, sem iluminação, em direção às suas casas. Sete pessoas foram baleadas e uma delas, uma criança de quatro anos, filha de Lucila Izaura, perdeu a vida atingida por cinco tiros. Lucila, de 29 anos, foi atingida por sete disparos e sobreviveu. Um crime, até então, sem qualquer motivação.

A identificação dos responsáveis pela chacina demorou cerca de um mês. Os disparos foram efetuados pelos policiais militares, capitão Benedito de Oliveira, de 47 anos e os soldados Flávio Gobbis Soeiro, 32, João Ortiz, 33 e Dirceu Pereira, de 57 anos. Benedito e seus amigos foram presos pela Corregedoria da PM. O capitão assumiu o crime, mas tentou alegar legítima defesa, argumentando que estava tentando marcar um encontro com Lucila, quando os homens do grupo de evangélicos tentaram agredi-lo.
Benedito,na época dos crimes. 
A situação começou a se complicar ainda mais para o então capitão do exército. A arma calibre 32 que ele portava, após testes, foi confirmada como a mesma arma de onde foram feitos os disparos que mataram a dona de casa Cirlene Alves de Oliveira Souza, em dezembro de 1989. O coordenador da chacina da Cazanga, capitão Benedito de Oliveira era um herói da PM e um dos melhores instrutores de luta antiguerrilha da corporação. Um verdadeiro “Rambo brasileiro”.

Fuga
Benedito fugiu antes de sair a sua condenação. O Tribunal de Justiça Militar condenou Benedito à revelia a 31 anos e oito meses de prisão pelo assassinato da menina Juliana Ribeiro Siqueira, 4 anos, e de tentar matar a mãe da garota, Lucila Izaura Ribeiro Siqueira, 29 anos. Benedito também foi condenado pela morte da dona de casa Cirlene Alves de Oliveira Souza.
O soldado Dirceu Pereira foi condenado a 26 anos e quatro meses de prisão pela fuzilaria na estrada de Itamambuca. Eles foram encaminhados ao presídio militar Romão Gomes, na zona norte de São Paulo. Os outros dois pms que acompanhavam Benedito na hora do crime foram absolvidos.
O capitão não ficou mais de três meses preso. No dia 26 de maio de 1990 fugiu, pela porta da frente, do presídio Romão Gomes. E, simplesmente, sumiu do mapa. Desde então, Benedito passou a ser o homem mais procurado pela corregedoria da Polícia Militar. Foi a última matéria que fiz sobre o capitão, justamente, relatando a facilidade como ele fugiu, a pé, do presídio Romão Gomes.
Em agosto de 1994, os repórteres da Folha, Cláudio Tognolli e Marcelo Godoy, foram até o Peru. E, escreveram uma matéria, relatando que, o ex-capitão Benedito de Oliveira, havia se transformado em um mercenário e estaria prestando serviços ao grupo terrorista Sendero Luminoso. Benedito era o maior especialista brasileiro em sobrevivência, combate e sobrevivência na selva. Ele também era especialista em explosivos e construções de armadilhas.
Benedito ficou “desaparecido” por 19 anos, até que, no dia 9 de janeiro de 2008, acabou preso em Manaus (AM). Lá, vivia desde 1998, com o nome falso de Paulo Pedreira Matta, 60 anos, um próspero empresário do setor de segurança privada. O capitão era dono da empresa de segurança Arsenal, num dos bairros nobres de Manaus. Policiais civis de São Paulo e do Amazonas passaram dois meses investigando Benedito, em Manaus, antes de prendê-lo, durante um café da manhã. Ele foi transferido para a capital paulista para cumprir a sua pena. Benedito tem hoje 69 anos. Deve estar preso.


Via Orla

Memória

A importância da Fazenda dos Ingleses na história caraguatatubense.

Quem trafega pela rodovia Rio-Santos, entre Caraguá e São Sebastião, nas proximidades do Serramar Shopping, quase não percebe a existência de uma antiga fazenda, que entre as décadas de 20 e 60, foi a principal fonte econômica de Caraguá e região. Ali ficava a Fazenda São Sebastião, mais conhecida, por Fazenda dos Ingleses, por pertencer a um grupo britânico, com sede em Londres.  Hoje, toda a área é de propriedade do Grupo Penido.
chatas para embarcar frutas nos navios com destino a Londres

Quando criança, estive várias vezes na fazenda. Andei no trenzinho que “cortava” a fazenda de ponta a ponta, até a divisa com o bairro de Pirassununga. Fui também, em várias festas juninas. Mais tarde, ouvi muitas histórias contadas pelo ex-administrador da fazenda, seu Marino Garrido, que por sinal, escreveu um livro sobre a Fazenda dos Ingleses, publicado pela Universidade Santa Cecília, de Santos, em 1988.

A Fazenda dos Ingleses começou suas atividades em 1927 com o nome de Fazenda São Sebastião. Caraguá era praticamente uma vila, com cerca de 3 mil habitantes e, pertencia ao distrito de São Sebastião. A Fazenda dos Ingleses, que tinha 4.020 alqueires, pertencia a empresa The Lancashire General Investment Company, do grupo Vestey, que tinha sede em Londres. Logo depois, a fazenda foi arrendada para a Companhia Brasileira de Frutas, uma de suas subsidiárias. Alguns anos depois, o empreendimento foi vendido para o Frigorífico Anglo, também de propriedade da Lancashire.

A Fazenda tinha uma rede ferroviária interna, que chegou a atingir 120 quilômetros de extensão, construída sob a administração do engenheiro Fuank Robotton, com a ajuda de 80 práticos portugueses contratados, principalmente, em Santos e no Rio de Janeiro. Esta ferrovia era necessária porque no auge da colheita, a composição ferroviária utilizava de 10 a 12 máquinas movidas a óleo e gasolina, além de 200 vagões, incluindo caçambas para o transporte de terra, plataformas para movimentação de madeiras e vagões para o transporte de mercadorias destinadas aos armazéns da Fazenda.
trenzinho para transportar funcionários.

O transporte interno dos operários e suas famílias era feito através de um carrinho de inspeção, que circulava sobre os trilhos. Toda a produção era escoada para o cais particular, situado no Porto Novo, de onde se fazia o transporte até o Canal de São Sebastião. Os ingleses tentaram explorar tudo o que era possível: pimenta, banana, laranja, café, milho e, até mesmo, madeira para construção de estradas de ferro na Europa, durante a guerra. Viviam na fazenda cerca de 4 mil pessoas. Era uma “ cidade” dentro de uma “cidade”.

Além da banana, uma das produções mais importantes era a laranja "grape fruit", a preferida da realeza inglesa. Os ingleses tentaram ainda a produção de cachaça, fabricaram duas delas bastante conhecidas, Sítio Velho e Anhimbu, que infelizmente, deixaram de ser produzida, segundo consta, porque o responsável pela produção, um brasileiro, veio a falecer.

Os ingleses se davam bem com os brasileiros. Na fazenda tinha cinema, campo de golfe, de futebol, de tênis e prática do polo. O futebol era o esporte preferido aos domingos. O sábado era dia de “açougue”, comerciantes vendiam carne e  vários mascates vendiam seus produtos- roupas, utensílios domésticos, diretamente aos moradores brasileiros. Para as mulheres, as missas de domingo e as festas católicas eram os dias mais alegres.

Três fatos marcaram muito a vida na fazenda: o assassinato do inglês D . R . Batchelar, um dos administradores por um dos funcionários; a tentativa de invasão de uma área da fazenda por pessoas que não tinham onde morar; e,  um motim dos operários, em 1932, na tentativa de obter melhores condições salariais.
As casinhas tradicionais na fazenda.

A fazenda dos Ingleses mudou radicalmente a economia de Caraguá e do Litoral Norte. Gente de todo o canto do Vale do Paraíba e da capital vinha para a cidade em busca de emprego.  A Fazenda dos Ingleses foi o principal fator de desenvolvimento da cidade até a chegada dos turistas. Era uma das três maiores do gênero na América do Sul. Por volta de 1946, no final da II Guerra Mundial, a fazenda retomou a produção de cítricos, voltando ao mercado inglês e sobreviveu mais 20 anos dessa cultura, mas não resistiu ao declínio do mercado europeu de frutas, gerando grande prejuízo a empresa.


Com a catástrofe de 1967, metade da fazenda ficou debaixo da lama. A Fazenda dos Ingleses foi aos poucos ficando abandonada. Em 1971 a Pecuária Serramar adquiriu as terras e instalou um projeto pecuário no mesmo local. A atividade foi então paralisada muitos anos depois. Hoje, a família Penido, dono da área, prepara um projeto imobiliário no local. 

sábado, 17 de dezembro de 2016

Via Orla

Política I
Vereadores serão “vigiados” pela população.

A população brasileira parece que acordou de vez. As manifestações ocorridas em todo o Brasil, recentemente, parecem que despertaram o interesse das pessoas em acompanhar mais de perto as ações dos políticos brasileiros. Antigamente, essas pessoas não precisavam ir às ruas, confiavam no trabalho que era feito pela imprensa. Hoje, parte da imprensa caiu em descrédito, por defender o interesse de seus veículos e não mais o compromisso com a verdade dos fatos.
Aqui na região, já tivemos no passado entidades que atuaram fortemente na defesa dos direitos do Litoral Norte, caso do MDU (Movimento em Defesa de Ubatuba), que impediu a instalação de uma fábrica de produtos bélicos na costa norte daquela cidade e também das entidades ambientalistas que na década de 80 rejeitaram a implantação da rodovia do Sol, que colocava em risco a mata atlântica.
Em Ilhabela, o Instituo Ilhabela, tem feito excelente trabalho, se posicionando contra propostas que possam vir a ameaçar o futuro da ilha. Agora, recentemente, um movimento surgiu em Ubatuba, contrário ao aumento dos subsídios dos vereadores. Os vereadores tentam um reajuste de 25% nos salários, que se aprovado, aumentará os subsídios de R$ 8 mil para R$ 10 mil. Um reajuste totalmente injustificável. Os moradores devem procurar o Ministério Público para barrar o aumento, caso o prefeito não vete a decisão tomada pela câmara.
A iniciativa dos moradores ubatubenses deve se estender as demais cidades da região ao longo do ano que vem. A “fiscalização” junto aos poderes legislativo e executivo deverá ser maior do que se pensa. Já era hora disto ocorrer. Prefeitos e vereadores devem tomar decisões que beneficiem a maioria da população e não mais, os interesses de poucos. A imprensa regional, por sua vez, deve estar ao lado dos movimentos sociais para o fortalecimento da democracia.

Política II
Caí o homem forte de Ilhabela
O advogado José Yunes, Comodoro do Iate Clube de Ilhabela e assessor especial do presidente Michel Temer abandonou o “barco”, após ter seu nome envolvido na Lava Jato. Yunes pediu demissão do cargo e com isso a ilha perde seu maior e mais influente político. Poucos sabem, mas já estava sendo agendada uma visita de Temer à Ilhabela. A ideia era que essa aproximação pudesse render bons frutos políticos às cidades da região. Com a saída de Yunes, tudo foi por água abaixo. Yunes resolveu deixar o governo na última quarta-feira, logo depois de vazar a delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho. De acordo com ele, parte dos R$ 10 milhões repassados ao PMDB em 2014, teriam sido pagos no escritório de Yunes, na capital paulista, fato que Yunes nega. Mesmo assim, Yunes decidiu deixar o governo.

Política III
Ações do PSDB podem colocar em risco a administração de Aguilar Jr.(PMDB)
O prefeito eleito de Caraguá, Aguilar Jr já foi diplomado e assumir em janeiro, mas tudo indica que ele terá muita ‘dor de cabeça’ e gastos extras com advogados especialistas na questão eleitoral. É que, uma das ações que o PSDB impetrou em Caraguá e que tinha sido indeferida pela justiça local, acabou sendo acatada pela Procuradoria Regional Eleitoral e, agora, será analisada pelo Tribunal Eleitoral. Trata-se da denúncia referente a possível promessa eleitoral feita por Aguilar Jr junto aos moradores de conjunto habitacional do Programa Minha Casa Minha Vida. Ele teria se comprometido, durante a campanha eleitoral, de acabar com a cobrança da taxa de condomínio. Sete desembargadores vão analisar o caso. Aguilar Jr vai assumir e permanecer no cargo enquanto se decide o mérito da ação pelo TRE. Caso ele perca em São Paulo, poderá recorrer em Brasília, no TSE. Caso venha a ser cassado, haverá novas eleições na cidade. Segundo consta, existem outras duas ações impetradas pelo PSDB contra Aguilar Jr. As duas, ainda na fase inicial.
Política IV
Antonio Carlos continua inaugurando obras.
O prefeito Antonjo Carlos da Silva, considerado por muitos o maior prefeito da história de Caraguá, continua inaugurando obras, mesmo a poucos dias de deixar o governo. O prefeito garante que as obras que forem finalizadas terão dinheiro em caixa para serem finalizadas pelo seu sucessor. Na cidade, todos querem saber o que o prefeito fará depois de deixar a prefeitura. Comenta-se que ele poderá assumir uma secretaria do Estado; que poderá disputar uma vaga na Câmara Federal, entre outras coisas. Tranquilo, o prefeito garante aos amigos que não pretende, pelo menos nos próximos anos, continuar na vida pública. Segundo consta, Antonio Carlos quer descansar, curtir a família e se dedicar aos seus negócios particulares.  
Política V
Deputados sumiram da cidade, após eleições.
Dois deputados que tiveram muitos votos em Caraguá nas eleições passadas, simplesmente, desapareceram da cidade. Um deles é o deputado federal Carlos Sampaio(PSDB), outro, o deputado estadual Hélinho Nishimoto (PSDB). Ninguém sabe o que eles conseguiram para a cidade. Ou, suas assessorias de imprensa não divulgaram ou nada foi feito mesmo. Parece que um deles empregou alguns de seus apoiadores locais. Nada mais teria sido feito. Por isso, torna-se cada vez mais importante o Litoral Norte eleger seus deputados nas próximas eleições. Poderia haver um movimento regional neste sentido. Faria um bem danado para a região.
Meio Ambiente
Cápricórnio está se transformando ilegalmente em condomínio fechado.
É um verdadeiro absurdo o que vem ocorrendo no bairro do Capricórnio. Instalaram uma guarita na entrada do bairro e segundo consta, estariam fechando todas as demais ruas de acesso. A iniciativa tem um único objetivo: transformar o local num condomínio fechado com acesso restrito aos proprietários de casas no local. Tudo indica que dentro de alguns meses, as pessoas que não possuem cada no local não terão acesso ao Capricórnio e Delfim Verde. Há alguns anos, sem que o Ministério Público tomasse qualquer providência, fecharam a avenida principal que fica em frente à praia. Boa parte da avenida foi transformada em jardins residências e de acesso exclusivo aos proprietários de casa em frente à orla. Atualmente, não se pode, nem mesmo estacionar o carro em frente a praia. O Ministério Público Federal e, também, o Ministério Público Estadual deveriam questionar a prefeitura, a câmara e os representantes da sociedade amigos do Capricórnio para saber a legalidade da medida que adotaram para transformar o local em condomínio fechado. Caraguá já tem poucas praias, se fecharem o Capricórnio será o caos...
Meio Ambiente II
Mexilhão é liberado
Legal. A Vigilância Sanitária liberou o consumo e a venda de mexilhões em nossa região. O cultivo e venda estava proibida desde o mês de julho. Em Caraguá, os maricultores da praia da Cocanha vinham enfrentando muitas dificuldades. É que, eles já tinham perdido toda a produção anterior contaminada por um vazamento de petróleo ocorrido há dois anos e, quando recomeçavam o cultivo, veio a proibição pelo estado, devido a nova contaminação, desta vez, pela “maré vermelha”, provocada por algas tóxicas.
Meio Ambiente III

Falso alerta de tsunami no Litoral Norte assustou muita gente.

Uma informação dada pela  rádio Caraguá FM, sem que fosse devidamente checada as informações, causou pânico em muita gente, principalmente, depois que o assunto chegou as redes sociais. A rádio noticiou que haveria um “tsunami” na região. Não era verdade.  A Marinha e a Defesa Civil do Estado desmentiram  a informação dada pela rádio. Segundo os órgãos haveria risco apenas de agitação do mar durante o fim de semana.  Isso comprova que nem tudo que uma rádio notícia é sempre verdade. Que os jornalistas da emissora chequem bem antes de dar uma informação como a do falso tsunami. 

Verão

Começam as blitzes nas estradas e avenidas.

Começa a partir da 0h da segunda-feira (19/12) nas estradas da região a Operação Verão. A operação será estendida até o dia 5 de fevereiro.  A fiscalização será rígida nas estradas que dão acesso ao litoral paulista, entre elas, as rodovias Tamoios e Osvaldo Cruz. Haverá aumento no número de guinchos, ambulâncias e veículos de apoio. Aqui, em Caraguá, foram intensificadas as blitzes nas principais avenidas da cidade, principalmente, nos casos de combate de bebida alcoólica ao volante, documentos irregulares e furto e roubo de carro. Essa fiscalização será alternada em várias avenidas até o final do carnaval. 
Nas estradas que dão acesso as cidades do Litoral Norte, o maior movimento para o Natal deve ocorrer entre as 9h e 24h de sexta-feira (23), das 8h às 15h do sábado (24) e entre as 14h e 24h do domingo (25). Para o Ano Novo, a previsão é que os horários de pico sejam registrados entre as 09h e 23h de sexta-feira (30) e das 8h às 16h de sábado (31). Para o retorno, a previsão é que o maior movimento se concentre entre as 15h e às 24h do domingo (1º/1).

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Via Orla

O que rola por aí...

Lava Jato

Uma das pessoas mais influentes e queridas de Ilhabela, o advogado José Yunes, pessoa de extrema confiança do presidente Michel Temer, teve seu nome envolvido na Operação Lava Jato.  O ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho contou, em sua delação premiada que dinheiro vivo de Marcelo Odebrecht foi entregue no escritório de advocacia de José Yunes, em São Paulo. Segundo Melo Filho, a quantia seria parte dos R$ 10 milhões que o empreiteiro destinou como doação para campanhas ao PMDB. A assessoria do presidente Michel Temer declarou que a informação não é verdadeira. Yunes é comodoro do Iate Clube de Ilhabela, tem uma das residências mais valorizadas da ilha e foi peça fundamental na eleição do novo prefeito de Ilhabela, Márcio Tenório(PMDB).

Ações

O candidato eleito Aguilar Jr. já foi diplomado, mesmo assim, o PSDB de Caraguá continua aguardando o resultado de suas ações na justiça eleitoral. Hoje, dia 13, o Ministério Público ouviu testemunhas, indicadas pelo PSDB local, que garantem terem ouvido promessas do então candidato Aguilar Jr. de que ele garantiria o desdobro de lotes, caso eleito fosse. Segundo consta, a legislação proíbe tal iniciativa. Se o MP encontrar indícios de provas, o caso pode seguir em frente, caso contrário, Aguilar Jr. seguirá tranquilo até a sua posse em 1º de janeiro. Ontem, o PSDB entrou com nova ação na justiça eleitoral, desta vez, argumentando que o vídeo, do caso das cestas básicas, teria influenciado no resultado das eleições. 

Secretários I

Recebi convite para a coletiva do Aguilar Jr., na qual. ele divulgou sua equipe de governo. Não deu para ir até lá, estava na capital. Recebi o release da Malu Baracat com a relação do secretariado: Samara Aguilar, presidente do Fundo Social; Campos Jr., secretário de Trânsito; Cristian Bota, secretário de Turismo; Malu Baracat, secretária de Comunicação; Ricardo Ribeiro, secretário de Educação; Marcos Freire, Chefe de Gabinete; Juarez Pardim, Assessor Parlamentar; Ricardo Romera Neto, Secretário de Gestão Administrativa; Sandro Albok, Secretário de Assuntos Jurídicos; Jonas Fontes, secretário de Desenvolvimento Social; Lelau, secretário de Esportes; Carlos Cogo, secretário de Governo; Marcel Giorgeti, secretário de Meio Ambiente; Giovana Pacelli Capucho, secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do Idoso; Márcio Pereira Silva, secretário de Planejamento; Amauri Toledo, secretário da Saúde; Roberti Costa, secretário de Serviços Públicos; Ricardo Gaspar,secretário de Urbanismo; Josemar Vieira, secretário de Informática. Boa sorte aos secretários.   


Secretários II

O prefeito eleito de São Sebastião, Felipe Augusto (PSDB), deve divulgar nos próximos dias os integrantes de seu secretariado. Comenta-se que alguns secretários de Caraguá devem constar na lista, entre eles, Cardim, Emília Kawata, Gilson Mendes, Ivy Malerba e Sérgio Braz. Caso esses nomes sejam confirmados, São Sebastião vai ganhar e muito. São bons profissionais, pessoas sérias e comprometidas com o desenvolvimento. Cardim, por exemplo, é filho de São Sebastião,  fez e, faz, excelente trabalho no esporte de Caraguá.     

Bucha

O prefeito eleito de Ilhabela, Márcio Tenório, tem duas “buchas” para resolver tão logo assuma a prefeitura de Ilhabela: a questão da travessia da balsa entre São Sebastião e Ilhabela e, o tal do aquabus, investimento de R$ 4,5 milhões feitos pelo atual prefeito Toninho Colucci, que até agora não entrou em operação. Com relação a balsa, Márcio Tenório tem que se unir aos comerciantes e hoteleiros e pressionar o governo do estado para que a travessia seja melhorada caso contrário, a temporada de verão  será um caos total na ilha, o que prejudicaria em muito a imagem turística local. Já com relação ao aquabus- transporte feito por lanchas, a coisa é mais séria e pode sobrar pepino para o Colucci, uma vez que o tribunal de contas “tá em cima” dos investimentos feitos pelo atual prefeito. As lanchas estão paradas desde o ano passado. Colucci diz que trata-se de “pura politicagem”. A oposição vê irregularidades na compra do aquabus. Vai sobrar para alguém...

Deputado I

O vice-prefeito de Caraguá, Antonio Carlos Jr(PSDB), pode ocupar uma vaga na Assembleia Legislativa. Júnior, que obteve 55 mil votos, nas eleições passadas, é o oitavo suplente do partido. Segundo consta, com a posse de deputados do partido nas prefeituras em janeiro e com as reformulações de Alckmin e comas indicações do prefeito eleito Dória, Júnior teria grandes chances de assumir na assembleia. Consta também que com a posse de Júnior, Alckmin fortaleceria seu nome na disputa pela presidência em Caraguá. Os deputados Samuel Moreira, atual chefe da casa civil de Alckmin e Pedro Tobias, presidente do partido, estariam também interessados na posse de Júnior. Se Júnior assumir a vaga será bem interessante: terá que buscar investimentos do governo do estado para o município, mesmo tendo o futuro prefeito como adversário. Vamos ver como vai ficar...

Deputado II

Comenta-se que o vereador Neto Bota terá muitas regalias com o prefeito eleito Aguilar Jr. Segundo consta, Neto Bota terá cargo de "supersecretário", mesmo não ocupando nenhum dos cargos do secretariado. Seu irmão Cristian, será o secretário de Turismo. Comenta-se que Neto terá apoio total do prefeito eleito e do ex-prefeito Aguilar para disputar uma vaga na assembleia legislativa nas próximas eleições. 

Orloff

O prefeito eleito de Ubatuba Décio Sato(PSD) se encantou com a indicação do ex-jogador Marcelinho Carioca como secretário de Esportes, mas tem recebido muitas críticas pela indicação. Não por culpa do Marcelinho, que tudo indica foi indicação da cúpula do partido, mas pelo fato de não valorizar o pessoal de sua cidade. Marcelinho foi um grande jogador, mas pode deixar a desejar como gestor público na área do esporte. O marketing envolvendo a indicação de Marcelinho poderá ser negativo, caso o ex-jogador não mostre serviço. Também teremos que aguardar para ver no que vai dar...Vale lembrar que o ex-jogador Vladimir teve muitos problemas quando assumiu a secretaria de Esportes em São Sebastião. Vladimir não teve dinheiro e nem o apoio necessário para poder desenvolver um bom trabalho na cidade, onde ainda mantém muitos amigos. Por outro lado, Sato acertou na indicação de Wilber(Urbanismo), Marcelo(Jurídico) e Aboud (Habitação), todos eles de Caraguá, são profissionais extremamente competentes.  

Loteria

O prefeito eleito de Caraguá, Aguilar Jr. Poderá ganhar uma boa bolada para utilizar em sua administração. É que a prefeitura moveu uma ação contra o Consórcio Caraguá, que construiu a Unidade de Processamento de Gás na cidade, que em seu final jurídico poderá resultar em mais de R$ 200 milhões nos cofres da prefeitura. É que, o consórcio fez depósito referente ao IPTU e ISS no Rio de Janeiro e não, em Caraguá, sede da Unidade. A prefeitura ganhou no tribunal e o consórcio recorreu no supremo. Se Aguilar Jr. correr atrás o dinheiro pode entrar nos cofres da prefeitura dentro de dois anos.

Show I

A Orquestra de Viola Caipira Estrela de Ouro realizará nesta quarta-feira (14/12), às 20h, no Teatro Mario Covas, o show de lançamento de seu DVD, gravado no município no mês de junho. Os ingressos custam R$ 20 inteira e R$ 10 meia-entrada e podem ser adquiridos antecipadamente com os integrantes da orquestra ou no dia da apresentação, com uma hora de antecedência, na bilheteria do teatro.   

O repertório da apresentação vai desde a tradicional música raiz, como “Cabocla Tereza” e “O Menino da Porteira”, até clássicos como “Yesterday”, dos Beatles, e “Ave Maria”, de Johann Sebastian Bach e Charles Gounod. Quem tiver pago meia-entrada para assistir ao show poderá adquirir o DVD por R$ 10. Já para quem tiver comprado a entrada inteira, o DVD será gratuito. 

Show II

Ilhabela celebra a chegada da estação mais divertida do ano com grandes shows musicais. É o “Vem Verão” que será realizado neste final de semana (16, 17 e 18/12) na Praia do Perequê. A programação do evento tem início na sexta-feira (16/12) a partir das 21h, com a banda Soulth Samba. Às 22h, sobe ao palco o renomado cantor e compositor Xande de Pilares, ex-Revelação, cantando os maiores sucessos da carreira como “Tá escrito”, “Compasso do Amor”, “Fala Baixinho”, “Sina”, dentre outros. No sábado (17/12) é a vez da banda de reggae local “Abdjan” subir ao palco, a partir das 21h. Em seguida, às 22h se apresenta a “Cidade Negra”, uma das bandas mais conhecidas no cenário nacional de reggae, com outras influências, como soul e o pop rock. A banda é formada por Toni Garrido, Bino Farias e Lazão. Já no domingo (18/12), encerrando a programação do evento, o músico local, Felipe Blues toca seus maiores sucessos a partir das 21h.


      

sábado, 10 de dezembro de 2016

Via Orla

Gente

Empresária paga resgate de R$ 10 mil por celular perdido em Ilhabela.

O smartphone está se tornando tão importante para as pessoas que dificilmente elas ficam sem seus aparelhos. As pessoas se apegam tanto aos aparelhos que quando perdem ficam inconformadas e tristes. Sejam as vítimas jovens ou adultos Tudo isso porque perdem o contato com seus amigos e, também, por causa das fotos feitas que registram momentos importantes.

Ontem, circulou nas redes sociais a história de uma empresária que resolveu pagar recompensa para quem encontrar seu Iphone. A empresária Márcia Biroli, de 51 anos, oferece R$ 10 mil para quem encontrar seu celular, modelo iPhone 6, aparelho que custa no mercado atual, cerca de R$ 2 mil. A empresária perdeu o aparelho compensa na praia do Engenho D´Água, na quinta-feira passada.

Ela quer encontrar o aparelho, porque segundo ela, nele estão fotos que registram momentos importantes da família, entre eles,  fotos dopai de 72 anos, falecido em agosto deste ano e também, fotos de familiares feitas na festa em que comemorou seus 50 anos.
Márcia acredita que perdeu o celular quando fazia um passeio com seu cachorro pela praia. Ela tentou rastrear o aparelho, mas o celular estava sem bateria. A empresária fez um boletim de ocorrência na delegacia de Ilhabela e divulgou a “recompensa” no valor de R$ 10 mil para quem encontrar o aparelho através das redes sociais.

Sortuda

A adolescente Bárbara de Souza, de 13 anos, que mora na zona norte de São Paulo, teve uma sorte danada e recuperou seu iPhone 5 perdido em Ilhabela, quando praticava stand up entre as praias do Curral e Veloso. Bárbara perdeu o celular no final do mês de dezembro de 2014.
A adolescente Bárbara Souza com seu iPhone recuperado. 

A jovem dava o celular como perdido, quando surpreendentemente, no mês de maio de 2015, quase 142 dias após ter perdido o aparelho, uma morador de Ilhabela, Júlio Fiadi, de 55 anos, manteve contato com a família dela na capital para informar que tinha achado o aparelho.

A sorte de Bárbara é que o aparelho estava dentro de uma bolsa à prova d´água quando caiu na água. O aparelho localizado por Fiadi, a cinco metros de profundidade, estava sem bateria. Ele teve o cuidado de procurar um jeito de identificar o proprietário e informá-lo de que o aparelho tinha sido localizado e em perfeitas condições. O iPhone 5 foi entregue à Bárbara.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Via Orla

Tragédia

Uma foto para ficar na história do fotojornalismo.

   Nelsinho Almeida captou, num clique, o sentimento de nós todos.
Menino Richard, fotografado por Nelson Almeida(AFP)

A foto, acima, feita pela fotógrafo Nelson Almeida, da Agência France-Presse (AFP), foi publicada na capa dos principais jornais nacionais e internacionais. Na foto, está o garoto de 7 anos, Richard Ferreira do Nascimento, sentado, cabisbaixo e triste, nas arquibancadas da Arena Condá, em Chapecó. Nelsinho teve uma sensibilidade incrível. Essa foto demonstra o sentimento de todos nós com relação a tragédia que atingiu o time da Chapecoense e todo o mundo do futebol.

Trabalhei com o Nelsinho de Almeida, no antigo Jornal ValeParaibano. Fizemos muitas reportagens juntos, principalmente, nas temporadas de verão e nas coberturas do derramamento de petróleo pelos navios da Petrobras, aqui em nossa região. Nelsinho, tem casa de veraneio em Caraguá. Conhecendo seu trabalho profissional, sugeri, na época, final da década de 80, que ele fosse trabalhar em jornais da capital. Nelsinho foi mais longe, cobriu os principais fatos nacionais e copas do mundo. Gosta de cobrir futebol.

O menino Richard, personagem principal da foto de Nelsinho, segundo jornais de Santa Catarina, não sabia do acidente com o time, até chegar ao estádio, levado pela mãe. O menino ficou chateado e triste ao saber que era verdade o acidente e, isolou-se na arquibancada. Aí, apareceu o Nelsinho de Almeida. Ele, o fotógrafo, contou que precisava fazer umas fotos rapidamente para encaminhar para AFP.

Nelsinho contou aos jornais que ficou surpreso com a repercussão que a foto teve, pois foi um flagrante simples. “Estava na Arena Condá andando pelas arquibancadas e fotografando a reação das pessoas, quando vi esse menino num lugar da arquibancada mais vazio. Fiquei observando o menino por um tempo e fiz uma foto. Ele notou a minha presença e ficou me olhando. Disfarcei, virei de costas como se fosse embora, e voltei a olhar pra ele e nesse momento ele estava de cabeça baixa, pensativo. Fiz dois disparos e saí para outro lugar , disse o fotógrafo.

A mãe de Richard, dona Maristela, não imaginava que naquele momento a dor de Richard viraria um dos símbolos de uma das maiores tragédias do futebol mundial. Logo após, Nelsinho distribuir a foto pela agência, o flagrante do menino triste na arquibancada espalhou-se pelas redações mundo afora. Era a foto da capa dos jornais. No Brasil, O Globo abriu-a no alto da primeira página. Os diários esportivos AS, de Madrid, e A Bola, de Portugal, ocuparam a capa inteira com a dor de Richard. A imagem também ilustrou a capa do requintado português Público em suas edições para as cidades de Lisboa e do Porto.
Nelsinho não considera a foto especial porque é tecnicamente simples, segundo ele. Mas entende a beleza da imagem de captar o garoto descalço e Comar desolado. Garante que ainda assim, jamais imaginaria a repercussão que o deixou satisfeito por ter feito um bom trabalho.

Segundo ele, aquele clique do menino na arquibancada, acabou se tornando uma foto marcante.  "Acabou se tornando uma foto marcante. Estou há 30 anos na profissão, tenho muitas fotos que gosto. Mas essa teve uma repercussão por conta das redes sociais. Talvez se tivessem as redes sociais lá atrás as outras teriam também. Mas foi legal. Me ligaram até de Portugal porque a foto foi capa de um jornal lá".

"Eu tirei uma foto do menino, mas ele percebeu e ficou olhando. Aí disfarcei, virei de costas. É bem comum usar essa tática para pegar uma foto espontânea. Aí a gente disfarça, finge que não está olhando, vira de costas. Eu fiz isso e na hora que voltei para focalizá-lo, ele já tinha voltado a fazer o que estava fazendo. Fiz duas, três fotos A gente aponta a câmera e quer uma foto espontânea. Não pode ser posada e nem pedir para a pessoa fingir que está triste porque é antiético".

Nelson nem chegou a perceber a situação. "Eu cheguei no estádio com um pouco de pressa de produzir um material para enviar logo. Eu vi que as pessoas estavam todas muito juntas na torcida. Estava um burburinho de um lado. Então fui para o fundo e me chamou a atenção o garoto sozinho. Eu fiz e saí, enviei da própria câmera".

O fotógrafo não considera a foto especial porque é tecnicamente simples. Mas entende a beleza da imagem de captar o garoto descalço e com ar desolado. 
Ainda assim jamais imaginaria a repercussão que o deixou satisfeito por ter feito um bom trabalho.


 "Acabou se tornando uma foto marcante. Estou há 30 anos na profissão, tenho muitas fotos que gosto. Mas essa teve uma repercussão por conta das redes sociais. Talvez se tivessem as redes sociais lá atrás as outras teriam também. Mas foi legal. Me ligaram até de Portugal porque a foto foi capa de um jornal lá", contou em suas muitas entrevistas concedidas a partir da publicação da foto do menino. .

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Via Orla

Cinema
Documentário santista sobre início do surf ganha prêmio internacional
Réplica da Prancha pioneira no surf (foto Júnior Faria-divulgação)
Um curta-metragem realizado pelos alunos de jornalismo da Universidade Santa Cecília, de Santos, foi premiado na categoria Melhor Documentário Nacional, no Mimpi- 5º Festival Internacional de Surf e Skate, no Rio de Janeiro, na semana passada. O interessante é que o filme tinha sido realizado como  Trabalho de Conclusão de Curso (TCC),da universidade. Uma bela sacada dos futuros jornalistas. Parabéns pelo prêmio.  
O filme, de 15 minutos, “Tábua Santista”, é dirigido por Júnior Faria e Roberta Caprile, e  conta a história da primeira prancha de surf construída no Brasil. A prancha foi criada por Thomas Rittscher, na metade da década de 30, a partir de um protótipo publicado numa revista norte-americana, em 1933.
O curta metragem conta as estórias do engenheiro Soren Knudsen, que concebeu a ideia de reconstruir a prancha, Fábio Fornasaro, marceneiro que a construiu, e Alexandre Wolthers, surfista que a colocou na água. Um projeto que durou mais de um ano e meio. 
O documentário curta-metragem Tábua Santista conta com depoimentos de surfistas, historiadores e jornalistas especializados, que remontam a história e a importância da prancha havaiana construída em 1935 pelo americano, Thomas Rittscher, no quintal de sua casa em Santos.
O roteiro foi escrito em torno uma réplica da primeira prancha feita por três amigos santistas, 80 anos depois que os irmãos Rittscher surfaram pela primeira vez na Cidade, marcando o nascimento do esporte no Brasil. 

O diretor do curta Júnior Faria competiu dos 10 aos 25 anos. Chegou ao top 50 do mundo. Hoje, é freesurfer profissional e sempre que pode está em North Shore, no Havaí. A outra diretora do curta, Roberta Caprile nunca pegou onda. 

Ficha técnica: Direção e Roteiro: Junior Faria / Roberta Caprile
Direção de Fotografia: Caio Faria
Imagens: Alexsandra Izar / Caio Faria /Caroline Oliveira
Imagens Aéreas: Alexandre Valdivia
Trilha Sonora: Dudu Golzi / Caio Bosco
Montagem, Edição e Finalização: Caio Faria / Junior Faria / Roberta Caprile
Animação: Victor Deluke
Produção Executiva: Faria FilmesProdução: Alexsandra Izar / Caroline Oliveira / Jheniffer Adorno / Luciana Novais / Roberta Caprile