Total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de março de 2015

Deveres


Dengue

 

Prefeitura começa a notificar e multar quem não colaborar com o combate a dengue.

 

Em palestra realizada esta semana, o coordenador da Equipe de Combate a Dengue, Ricardo Souza, informou que 80% dos criadouros do mosquito transmissor da doença esta no interior das residências. Isto significa que os moradores da cidade devem continuar a fazer a limpeza de vasos, calhas, ralos e jardins ou quintais para recolher todo recipiente que possa se transformar num criadouro do mosquito. Só assim poderemos eliminar os criadouros e combater a dengue.

 

1569 casos

Adicionar legenda
 
Não tem outro jeito. Se o morador e, também, o veranista, não colaborar o combate a dengue ficará prejudicado na cidade. Os casos de dengue continuam crescendo. Hoje, temos 1569 casos confirmados e 541 em investigação. Duas pessoas já morreram de dengue na cidade. No ano passado foram 2199 casos positivos e três mortes por dengue.
 

A situação da dengue é dramática em quase todo o Estado de São Paulo e, também no País. Por aqui, não tem sido diferente. A prefeitura tem feito um trabalho responsável. O prefeito Antonio Carlos tem dedicado toda a sua atenção e ações no sentido combater a dengue em nossa cidade. Várias ações estão sendo desenvolvidas: aumento no número de agentes nas UBSs e no UPA; foi intensificado o trabalho de limpeza nos bairros; foi envolvida praticamente toda a nossa comunidade no trabalho de conscientização; investimentos na compra de repelentes e equipamentos de nebulização(aplicação de inseticida)...  
alunos colaboram na campanha
Todos os colegas, da imprensa local ou regional, tem colaborado divulgando as ações da prefeitura e as medidas que devem ser adotadas pelos moradores para se evitar a dengue. A dengue tem ocupado um bom espaço nas rádios, TVs, jornais e redes sociais. A imprensa tem feito seu trabalho no sentido de esclarecer e orientar os moradores de como evitar os criadouros e, com isso, eliminar o mosquito que transmite a dengue.  Os moradores devem e podem fazer muito mais.
 
A Sesep (Secretaria de Serviços Públicos) faz semanalmente o “bota-fora” para eliminar os criadouros nas residências.  Muita gente colabora. Outros, não. Muita gente coloca entulho, poda de árvores, móveis e todo tipo de tranqueira que não usa mais, após a realização das operações cata-treco e bota-fora. Essa atitude acaba prejudicando e muito o trabalho da prefeitura e coloca em risco todo o trabalho que vê sendo executado. A retirada do material, galho de árvore, entulho de construção e móveis velhos devem ser feito durante a realização do bota-fora e não, após a realização da ação.

 
Entulho

retirada de entulho
 
A Sesep começou esta semana a notificar os moradores que depositam entulho ou móveis fora o período do bota-fora. Um total de 31 moradores foram autuados e notificados por fazerem o despejo o irregular de lixo verde ou entulho nas calçadas, via pública ou terreno particular. Foram notificados moradores dos bairros Porto Novo, Sumaré, Olaria, Casa branca, Cidade jardim e Indaiá. As ações de fiscalização estão sendo intensificadas com especial atenção aos imóveis geradores de lixo que possam servir de  criadouro para o mosquito transmissor da Dengue.

 
Os moradores autuados tem um prazo de 7 a 15 dias para removerem o lixo, entulho, podas de árvores ou jardins através de empresas particulares. A multa é pesada: cerca de R$ 500,00. Os moradores podem contratar caçambas para armazenar o material. O aluguel de caçamba nas empresas da cidade varia de R$ 90,00 a R$ 110,00. Os moradores podem também levar o entulho ou móveis velhos e ainda as podas de árvores e jardins para o transbordo da Prefeitura que fica na avenida das Garças, no bairro Jardim Gaivotas.  O que não pode é deixar o entulho ou móveis nas calçadas, praças e vias públicas fora do período dos bota-foras. Pra tirar dúvidas os moradores podem para a Sesep (3885-4556).

 
Terrenos baldios


terreno baldio com entulho e lixo.
A Secretaria de Urbanismo também vem fazendo a sua parte. Cerca de 400 proprietários de terrenos baldios foram notificados para fazerem a limpeza de suas áreas. Nem todo terreno baldio é foco de criadouro do mosquito transmissor da dengue, mas muita gente acaba utilizando esses terrenos para fazer o descarte de seu lixo, entulho, podas de árvores ou jardins. Os proprietários desses terrenos são notificados para limparem suas áreas em até 30 dias. Caso a limpeza não seja feita, são multados em até R$ 1.500,00. O Interessante é que de cada dez proprietários notificados, cerca de oito, atendem as notificações feitas pela prefeitura. Em caso de denúncias ou dúvidas as pessoas podem ligar para 3886-6060.
 

Como se vê, muita coisa está sendo feita, principalmente, por parte da Prefeitura, para que a gente possa combater o avanço da dengue.  É preciso apenas, que os moradores, não deixem em seus quintais ou jardins, qualquer tipo de recipiente que possa vir a se transformar num criadouro do mosquito e, que as pessoas evitem lançar nos terrenos baldios: entulho, lixo, podas ou móveis velhos. As pessoas devem tirar todas as suas dúvidas ligando para os telefones da Secretaria de Saúde: 3887-6888 e 3887-6085.  

 

 

 

quarta-feira, 25 de março de 2015

Nova orla


Nova Orla

Começa obra de urbanização da orla do Massaguaçu

 
Orla Massaguaçu. Foto: jornal O Vale

Foram iniciados ontem, dia 24, os serviços da obra de urbanização da orla do Massaguaçu. Trabalhadores da empreiteira Marxcon Ambiental, responsável pela obra, começaram ontem a fazer a demarcação do projeto que será executado numa das melhores praias da cidade. A obra deve ser concluída entre quatro e cinco meses. A orla da Praia de Massaguaçu era uma das poucas ainda não urbanizadas pelo prefeito Antonio Carlos no município de Caraguatatuba.

Abboud acompanha a demarcação do projeto
O trabalho de demarcação do projeto foi acompanhado de perto pelo arquiteto Cesar Abboud, um dos responsáveis pela obra. Abboud foi também um dos arquitetos responsáveis pela implantação da orla da praia do centro de Caraguá. O projeto da nova orla do Massaguaçu,  apresentado pelo prefeito Antonio Carlos aos empresários, comerciantes e hoteleiros da região, foi muito elogiado por todos.

projeto da nova orla
A praia de Massaguaçu, a de maior extensão de Caraguatatuba, terá sua orla totalmente repaginada, com obras de reurbanização e de revitalização ambiental. O projeto deverá ser concluído até o final do ano, segundo o prefeito.
A primeira etapa terá um projeto ambiental para recuperar a vegetação de restinga ao longo da praia. Abboud ,que também é secretário adjunto da Secretaria de Pessoas com Deficiência e Idosos, informou que espécies nativas, entre elas o Jundu, planta comum em restingas, serão replantadas ao longo da praia. Abboud informou também que serão plantadas espécies nativas da Mata Atlântica nos canteiros paisagísticos que serão implantados na praia, mais próximo da rodovia Rio-Santos.

O projeto de urbanização prevê a construção de ciclovia, calçadão para caminhada com 3,5 metros de largura, decks sobre as paredes de pedra para a retenção da maré, mirante praça de convívio, academia de ginástica para a terceira idade, obeliscos ornamentais e espaço para atividades culturais.  Segundo Abboud o projeto de reurbanização da praia de Massaguaçu, em Caraguatatuba, prevê acessibilidade em toda a orla.

Os seis quiosques existentes ao longo da orla serão menores e padronizados, segundo o arquiteto. A Massaguaçu também vai ganhar uma área para estacionamento, em grama, com capacidade para 90 vagas. Segundo Abboud os carros não vão mais estacionar na areia da praia como ocorre hoje. A praia também vai ganhar uma nova iluminação, com lâmpadas de led brancas para destacar a orla.

Mar

        Prefeitura assina convênio com a Marinha 





O prefeito Antônio Carlos e a Marinha do Brasil assinaram um termo de convênio para fiscalização do tráfego náutico do município. O convênio foi assinado na semana passada, em cerimônia realizada na Delegacia da Capitânia de Portos, em São Sebastião, na última semana. A cidade foi a primeira do Litoral Norte Paulista a firmar acordo. Com a assinatura do termo, será preservada a integridade física dos cidadãos nas praias e rios navegáveis do município. Durante a cerimônia, estiveram presentes o prefeito de Caraguá, Antonio Carlos; o vice-almirante do Comando do 8º Distrito Naval, Wilson Pereira de Lima Filho; o Capitão de Fragata Delegado da Capitânia de Portos de São Sebastião, Marcelo de Oliveira Sá e o secretário de Assuntos Jurídicos de Caraguá, Dorival de Paula Junior. Na ocasião, foi assinado também o Plano de Trabalho para que a fiscalização seja efetivada, pelo secretário de Assuntos Jurídicos e o Delegado da Capitânia de Portos de São Sebastião. O prefeito Antônio Carlos também se mostrou favorável a implantação do grupo de "marinheiro mirim" em Caraguatatuba, projeto que deverá ser viabilizado com apoio da Marinha do Brasil.
 


 

terça-feira, 24 de março de 2015

Todos contra a Dengue


Dengue

 Caraguá registra segunda morte por dengue.

agentes aplicam a nebulização
 Caraguatatuba registrou a segunda morte por dengue. A vítima foi Aparecida Correa dos Santos, de 66 anos, moradora do bairro Rio do Ouro. Aparecida morreu no último sábado (dia 21), após ser internada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Centro com os sintomas da doença.

A primeira morte por dengue na cidade ocorreu, em janeiro, quando morreu Adelaide Amaro Simões, 39 anos, moradora no bairro do Perequê-Mirim, região sul da cidade. Outras três mortes estão ainda sendo investigadas no município. A comprovação depende de exames complementares. Outras três morte foram descartadas (não foram por dengue).

agente combate criadouros nos vasos, calhas e ralos
A cidade, que decretou estado de Emergência, tem 1413 casos registrados até hoje(terça-feira, dia 24). Outros 596 casos ainda estão em investigação. O prefeito Antônio Carlos da Silva (PSDB) lançou o Programa ‘Emergencial de Combate à Dengue’. Alunos bolsistas da prefeitura foram convocados para cumprirem horas de contrato em atividades de combate ao mosquito transmissor da doença. Servidores públicos, membros das igrejas evangélica e católica, entidades e estudantes atuam como voluntários.

agentes visitam casa a casa 
Todos colaboram no trabalho de conscientização, principalmente, para eliminar os criadouros do mosquito transmissor. A prefeitura ampliou o número de agentes de saúde nas visitas casa a casa e no atendimento nas UBSs e UPA. Unidades de saúde nas regiões mais afetadas estenderam seus serviços até às 19 horas. Serviços de capina em terrenos públicos, varrição, retirada de criadouros e nebulização foram reforçados em todas as regiões da cidade.

A região mais afetada tem sido a região Sul, na divisa com São Sebastião, responsável por 597 (42,34%) dos casos confirmados. Em seguida vem a região central com 555 casos (39,36%). A região Norte registra 255 casos (18,09%).  Os bairros mais afetados: na região Sul; Pereque-Mirim(160) e Travessão(152); na região Central, Jaraguazinho (118); na região Norte, Olaria(98), Massaguaçu(52), Casa Branca(44) e Jetuba(43).  

Nos bairros onde ficam as praias mais frequentadas da cidade a situação é a seguinte: Martim de Sá tem 77 casos; Massaguaçu, 52 casos; Indaiá, 34 casos; Praias das Palmeiras, 30 casos; Prainha, 9 casos; Capricórnio, 5 casos; Tabatinga, 2 casos.  

A dengue mês a mês em Caraguá: Janeiro, 474 casos; Fevereiro, 603 casos; e, Março, 462 casos (até o dia 24). É importante o envolvimento de todos no combate ao criadouro do mosquito. É que, segundo informações do Estado, o “pico” de casos de dengue deve ocorrer entre os meses de abril e junho.   Em 2014 a cidade registrou 2199 casos de dengue e os meses com maior números de casos foram abril(402), Maio(939) e Junho(529).  Confira abaixo, informações da prefeitura, sobre os casos de dengue bairro a bairro.

 

REGIÃO CENTRAL
Bairro
Casos
Porcentagem
CENTRO
31
2,2 %
CIDADE JARDIM
25
1,77 %
ESTRELA DALVA
24
1,7 %
INDAIA
34
2,41 %
IPIRANGA
5
0,35 %
JARAGUAZINHO
118
8,37 %
JD GAIVOTAS
16
1,13 %
JD ARUAN
7
0,5 %
JD CALIFORNIA
4
0,28 %
JD FOREST
1
0,07 %
JD JAQUEIRA
5
0,35 %
JD MARISTELA
1
0,07 %
JD PRIMAVERA
6
0,43 %
MARTIM DE SÁ
77
5,46 %
POIARES
23
1,63 %
PONTE SECA
11
0,78 %
PRAINHA
9
0,64 %
RIO DO OURO
68
4,82 %
SUMARE
27
1,91 %
TINGA
35
2,48 %
BENFICA
11
0,78 %
CANTA GALO
6
0,43 %
CAPUTERA
11
0,78 %
TOTAL
555
39,36 %
REGIÃO NORTE
Bairro
Casos
Porcentagem
CAPRICORNIO
5
0,35 %
CASA BRANCA
44
3,12 %
JETUBA
43
3,05 %
JD SANTA ROSA
1
0,07 %
JD TERRALAO
6
0,43 %
MASSAGUAÇU
52
3,69 %
OLARIA
98
6,95 %
PORTAL DA FAZENDINHA
3
0,21 %
RECANTO DO SOL
1
0,07 %
TABATINGA
2
0,14 %
TOTAL
255
18,09 %

 

REGIÃO SUL
Bairro
Casos
Porcentagem
BARRANCO ALTO
28
1,99 %
GOLFINHO
14
0,99 %
JARAGUA
13
0,92 %
JD BRITANIA
6
0,43 %
JD TARUMA
15
1,06 %
MORRO DO ALGODAO
61
4,33 %
PEGORELLI
49
3,48 %
PEREQUE MIRIM
160
11,35 %
PONTAL ST. MARINA
11
0,78 %
PORTO NOVO
54
3,83 %
PRAIA DAS PALMEIRAS
30
2,13 %
RIO CLARO
1
0,07 %
TRAVESSÃO
152
10,78 %
VAPAPESCA
3
0,21 %
TOTAL
597
42,34 %