Total de visualizações de página

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Tubarão no Litoral


Mídia

      Tubarão é capturado em São Sebastião

 
Silves e o tubarão capturado em São Sebastião

Ganhou destaque no G-1 desta sexta-feira a captura de um tubarão, da espécie tigre, com mais de dois metros de comprimento e 120 quilos, capturado nas proximidades da praia do Toque Toque Pequeno, na costa sul de São Sebastião.

Segundo o oceanógrafo Hugo Gallo, de Ubatuba, esta espécie é comum na região, no entanto, nunca houve registro de ataques a banhistas. O anima foi capturado a cerca de 300 metros da praia.

O biólogo Márcio Silves, responsável pela captura do animal, disse que precisou dividir o peixe em duas partes para poder leva-lo até a areia da praia. Foram necessários dois botes para transportar o animal até a praia.

Segundo Silve, o animal será encaminhado para pesquisa marinha. Ele afirmou ainda que a presença de cardume de tainha nas águas do Litoral Norte tem atraído a presença de tubarões nas praias da região entre os meses de maio e agosto.

 

Polícia

“Piratas” voltam a agir em Ilhabela.

 

Um grupo de assaltantes voltou a agir em Ilhabela na madrugada desta sexta-feira. A ação dos marginais não obteve sucesso graças a atuação da PM local. Mis uma vês, os bandidos fugiram pelo mar.

Os bandidos explodiram um caixa eletrônico da CEF no bairro da Barra Velha. Com a chegada da PM os bandidos trocaram tiros e fugiram. Eles abandonaram o carro utilizado na fuga na Praia do Oscar, pegaram uma lancha e fugiram.

Durante a troca de tiros, uma mulher que passava pelo local foi atingida no ombro. Ela foi socorrida no hospital da cidade e passa bem. Não foi informado o montante levado pelos bandidos. Ilhabela já registrou mais de cinco casos de ataques praticados por “piratas”. Este tipo de ação teve início em 2012.

 

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Privatização dos parques


Meio Ambiente

 

      Unidades de preservação do Litoral Norte devem ser “privatizadas”

Um projeto de lei do governador Geraldo Alckmin que prevê a concessão de parques e unidades de conservação deve ser votada pela assembleia legislativa nos próximos dias. O projeto de Alckmin permite que a iniciativa privada explore comercialmente, através de atividades turísticas, as unidades de conservação por até 30 anos, sob a condição de respeitar as leis ambientais.

Segundo consta, o Estado quer permitir a concessão de áreas protegidas porque não teria estrutura  própria para cuidar dos parques estaduais. Hoje, a Fundação Florestal, que administra essas áreas tem apenas 300 funcionários e a fiscalização é feita por empresa terceirizada. A “privatização” é considerada boa por alguns e, polêmica, por outros. Segundo alguns ambientalistas, o importante é garantir a conservação dos parques e, não, em transformá-los em algo rentável. A decisão ficará a cargo dos deputados.  

Eu, particularmente, entendo que as duas coisas são importantes. Com mais recursos, haverá mais fiscalização e isso garante maior conservação. Acho que os parques podem ser administrados por empresas particulares ou até mesmo, as prefeituras. O importante é garantir a preservação e a conservação dessas unidades. Em alguns países, a visita aos parques é cobrada e os recursos investidos na melhoria e conservação desses parques.

Aqui, no Litoral Norte, podem ser repassados à iniciativa privada os parques de Caraguá, Ilhabela e Ubatuba que totalizam 342 mil hectares. O parque estadual de Ilhabela, por exemplo, tem 27 mil hectares, englobando 12 ilhas, 3 ilhotes , 3 lajes e 1 parcel. O parque estadual de Ubatuba tem 8 mil hectares englobando 5 praias, 3 vilas caiçaras e algumas ilhas protegidas(Núcleo Picinguaba) e ainda o Parque Estadual da Ilha Anchieta. O Parque estadual de Caraguatatuba tem 50 mil hectares.  

Venho notando muito interesse da Prefeitura de Ilhabela em ficar com a concessão do Parque Estadual, principalmente, a estrada parque que dá acesso a Baia de Castelhanos. Um dos locais mais procurados pelos veranistas e turistas que visitam Ilhabela. Não sei como anda a conversa entre o prefeito Colucci e o Estado. A idéia pode ser bem interessante, ou seja, a própria prefeitura assumir o parque.


Em Ubatuba, também, fiquei sabendo, através do Radar Litoral, que a prefeitura local deve apresentar uma proposta ao Estado para ficar com a concessão de uso da área do Núcleo Picinguaba. O município reivindica prioridade na concessão, sem a realização de licitação, para garantir prioridade na concessão de uso aos povos e comunidades tradicionais das partes das unidades de conservação inseridas nos territórios históricos dessas comunidades. O objetivo é proteger e garantir a cultura e produção dos povos e dos trabalhadores tradicionais. Ubatuba também reivindicou a exclusão do Parque Estadual da Ilha Anchieta das áreas a serem concedidas pelo Estado.

 

terça-feira, 30 de junho de 2015

Fim das atividades




Saúde
 

  Anvisa fecha posto de atendimento em São Sebastião.

 A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) encerrou na semana passada as atividades de seus posto de atendimento no Porto de São Sebastião. O MPF (Ministério Público Federal) apura as causas do fechamento do posto da Anvisa de São Sebastião. O MPF atende a uma representação do Sindicato dos Servidores e Trabalhadores Públicos em Saúde, Previdência e Assistência Social do Estado de São Paulo (Sinsprev).

A Anvisa foi criada em 1999 para atuar nos portos. aeroportos e fronteiras para fiscalizar o cumprimento de normas sanitárias e a adoção de medidas preventivas e de controle de surtos, epidemias e agravos à saúde pública, além de controlar a importação, exportação e circulação de matérias primas e mercadorias sujeitas à vigilância sanitária, cumprindo, assim, a legislação brasileira, o Regulamento Sanitário Internacional e outros atos subscritos pelo Brasil. Em São Sebastião, a ANVISA fiscalizava navios que atuavam no porto e no terminal da Petrobras, considerado um dos mais movimentados do país.

Com o fim do escritório da Anvisa no município, os cinco servidores que atuavam  no local estão sendo remanejados.  Três deles foram removidos para Santos e dois permaneceram no escritório até a última sexta-feira(19), quando a unidade foi fechada. Um deles, um agente de saúde pública, cargo de nível médio, será transferido para o posto do cais santista. O outro, um médico, está de licença e já protocolou seu processo de aposentadoria.


O fechamento do posto portuário motivou uma manifestação por parte de vereadores e da prefeitura de São Sebastião. O prefeito Ernane Primazzi afirmou que irá acionar juridicamente a Anvisa para que os serviços de fiscalização sanitária não sejam interrompidos no porto local.

 “Cada ente federativo tem sua competência definida quanto às ações de vigilância sanitária, de modo que ao município não compete exercer as prerrogativas da Anvisa e vice-versa”, explicou o prefeito Ernane Primazzi.

 Justificativa

A Anvisa justifica que o processo de desativação do posto portuário de São Sebastião foi iniciado em 2013 e concluído no último dia 6 de abril. O motivo foi a pequena demanda local, na comparação com as atividades do órgão no Porto de Santos, e uma necessidade de otimização de recursos humanos e redução de custos operacionais. Sobre a baixa demanda de trabalho, a agência informou que, nas operações de portos públicos no sistema Porto Sem Papel (PSP), São Sebastião é o vigésimo complexo portuário entre os 33 que utilizam o sistema, com média de 30 operações mensais. 

Segundo a Autoridade Sanitária, os navios solicitam a Livre Prática (documento que atesta as condições sanitárias das embarcações e autoriza a atracação) no PSP. Por este motivo, não há necessidade de entrega física de documentação para análise. Desde 2013, não há emissão de certificados sanitários de embarcações no complexo. Isto porque o porto foi retirado da lista de exigências da Organização Mundial de Saúde. Contudo, restam as solicitações de certificados nacionais de embarcações, que podem ser atendidas com inspeções agendadas, a exemplo do que é feito em outras unidades nos portos brasileiros. 

Segundo a Anvisa, no Porto de São Sebastião não há atividades de navios de cruzeiro ou entrada de artigos importados sob anuência da vigilância sanitária. Sobre as demais ações de transporte, não há registro de inspeções de controle de vetores desde 2012. Fonte: Jornal Tribuna

 
 

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Beleza


Miss Mundo

 

Candidata “casada” perde título de Miss Mundo Brasil 2015 para Miss Ilhabela.

Catharina Nunes, Miss Ilhabela
O Litoral Norte terá uma representante no concurso Miss Mundo 2915. A representante da região, será a Miss Ilhabela Catharina Choi Nunes de 25, anos. A representante de Ilhabela, que disputou o Concurso Miss Mundo Brasil, no ultimo sábado, em Santa Catarina, “ganhou de presente” o título. É que a candidata de Sergipe, Ana Luísa, de 23 anos, eleita pelo júri, acabou sendo desclassificada por ser casada. A candidata de Ilhabela, Catharina Choi Nunes, de 25 anos, segunda colocada no concurso, acabou ficando com o título Miss Mundo.

Ana Luísa Castro perdeu o posto, um dia após ser coroada Miss Mundo Brasil 2015. Com a descoberta dos organizadores de que ela era casada, a candidata de Sergipe foi obrigada a renunciar o posto. A modelo, de 23 anos, perdeu a coroa por não se encaixar em um regulamento interno do concurso, que só permite que candidatas solteiras participem da competição.

Ana Luisa é casada com o modelo e ator belga Tanguy Backer, união com Tanguy De Backer, foi celebrada na Bélgica. O caso só foi divulgado após a coroação da candidatada. Na rede social, Ana Luísa explicou que a homologação do casamento ainda está em processo, tanto no Brasil quanto na Bélgica, e isso poderia causar problemas para ela e para o concurso. A modelo se viu sem alternativas, senão devolver a coroa e a faixa.

Com a renúncia de Ana Luísa, o título foi concedido a Miss Ilhabela, que havia ficado em segundo lugar no concurso. Feliz da vida, ficou Catharina Choi Nunes, de Ilhabela. Através de uma mensagem publicada em seu Facebook, a modelo prometeu mudar a opinião de quem acha que ela não seja merecedora do título.

"Gente! Gostaria de agradecer de coração a todos que me apoiaram, confiaram em mim, me mandaram energia positiva e por todo o carinho e amor de vcs! Espero ser uma Miss Mundo Brasil que deixe todos vocês orgulhosos. E aos que acham que não sou merecida do título, espero poder mudar a opinião de vcs, e poder deixar vcs orgulhosos tbm! Muito obrigada novamente! Um grande beijo!", postou. Fonte: Jornal Extra e G1.




sexta-feira, 26 de junho de 2015

Programe-se


Estradas


   Rodovia Tamoios será interditada no dia 1º

Passagem de carga especial interditará o trecho de Serra da Rodovia dos Tamoios
 
A operação será realizada no dia 01/07, entre 1h e 5h da manhã, período em que as pistas da Serra, nos dois sentidos de tráfego, estarão totalmente interditadas.
 
A Concessionária Tamoios alerta os usuários da Rodovia dos Tamoios (SP-099) que, no dia 01/07 (quarta-feira), as pistas da Serra (do km 68 ao km 80,6), nos dois sentidos de tráfego, estarão totalmente interditadas entre 1h e 5h da manhã. A interdição será necessária para passagem de um veículo transportando carga especial. Para evitar transtornos, o usuário não deve utilizar o trecho de Serra da Rodovia dos Tamoios no período de interdição.
 
Caso haja a necessidade extrema de deslocamento durante o período de interdição, o usuário terá como opções as rodovias SP-098 - Paulo Rolim Loureiro (Mogi/Bertioga) e SP-125 - Oswaldo Cruz (Taubaté/Ubatuba).
 
A operação, autorizada pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) e pelo DER (Departamento de Estradas e Rodagem), contará com acompanhamento da Polícia Militar Rodoviária e apoio operacional da Concessionária.
 
O transporte da carga especial será realizado pela empresa Transdata, tendo como origem o município de São Sebastião e destino o município de Paulínia.
 
Durante o período de interdição, o twitter da Concessionária Tamoios trará informações sobre o andamento da operação: https://twitter.com/tamoios099


Atrações Turísticas

    
Ubatuba promove a Festa de São Pedro

A Festa de São Pedro Pescador trata-se de um dos eventos mais tradicionais e antigos de nossa região. A festa comemora 92 anos e acontece entre os dias 25 e 29 de junho na Praça de Eventos de Ubatuba. O clima junino é permeado em toda a programação e decoração do evento, remetendo a cultura popular caiçara. Com uma rica programação cultural, a festa promete atrair ​milhares​ de​ moradores e turistas durante os cinco dias d​o evento.

Programação de 25 a 29 de junho

A animação fica por conta das bandas locais, grupos tradicionais caiçaras​ e duas atrações especiais já confirmadas: o grupo Katinguelê (26 de junho) e a banda Rastapé (27 de junho).

Nesta edição mais um Concurso da Rainha dos Pescadores e a Corrida de Canoas, mas este ano a Festa será repleta de novidades, como a homenagem aos Mestres do Mar, Leilão de Remos Pintados ​por artistas locais ​e o I Festival de Quadrilhas, reforçando a identidade de festa junina no evento. Destaque para as participações ​das famosas Quadrilhas de Bonecões da Mantiqueira de Caçapava e Teco Teco & Biro Biro de Queluz.

Vila Caiçara

A Vila Caiçara também é uma das grandes atrações da festa, onde o público pode vivenciar a cultura ​do povo de Ubatuba. O espaço nasceu de uma proposta da Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba para a valorização das tradições locais. É também um lugar especial da festa que está localizada a capelinha que abrigará a imagem de São Pedro.

Religiosidade

A religiosidade é marcada pelas Procissões do Mastro de São Pedro e de Canoas (25 de junho), show do Padre André Ouriques e Orquestra (28 de junho). No dia 29 que é comemorado o "Dia de São Pedro" será realizado a grande ​procissão de barcos e missa campal.

Alimentação

A gastronomia será voltada aos pratos juninos e ​caiçaras, incluindo a famosa Tainha na Brasa.

O evento é uma realização da Prefeitura de Ubatuba, FundArt e tem patrocínio da Petrobras e Governo Federal, Companhia Municipal de Turismo e Secretaria Municipal de Turismo de Ubatuba.

 

              

Ilhabela recebe festival Bourbon Folk & Blues


Nos próximos dias 26, 27 e 28 de junho o folk e o blues tomam conta da cidade de Ilhabela, SP.
Mais de 10 atrações vão participar do evento, entre elas: O Bardo e o Banjo, Tiê, Folk na Kombi, Suricato e Mustache e Os Apaches. Os shows são gratuitos e acontecem na vila.
 

Em Ilhabela acontece de 2 e 12 de julho a 1º Ilhabela Boat Week.  O salão náutico reunirá expositores que apresentarão desde acessórios, equipamentos de alta tecnologia e embarcações sofisticadas até carros de luxo e motocicletas.  Em julho a cidade também será palco da 42ª Semana Internacional de Vela. O 1º Ilhabela Boat Week, reunindo expositores das principais marcas de embarcações do mundo, será um atrativo a mais para quem pretende visitar a ilha em julho.  
O evento estará aberto ao público entre os dias 2 e 5 de julho e dos dias 10 a 12 de julho, sempre a partir das 10h.  O convite para acesso ao 1º Ilhabela Boat Week poderá ser retirado nas marinas, iate clubes, lojas náuticas ou pelo site: www.ilhabelaboatweek.com.br.

Todos os estandes serão montados no Parque Municipal Fazenda Engenho D’Água. As embarcações disponíveis para o requisitado “test-drive” estarão na Praia do Engenho D’Água, em frente à Fazenda, facilitando assim a aquisição destes sonhos de consumo, que cada vez mais conquista os brasileiros.

Todos os visitantes poderão apreciar as embarcações de marcas renomadas, como: Schaefer Yachts, Azimut, Prestige, Beneteau, BRP, Way Cat e Flórida. Também serão expostos veículos da BMW e Suzuki. A organização é da Secretaria de Turismo e Fomento e da Boat Brasil Grupo de Mídia, com apoio das revistas Boat Shopping e Boat International.
            Caraguá terá os festivais da Tainha e do Camarão

Em Caraguá, teremos dois bons eventos em julho. De 8 a 12 teremos o Festival da Tainha, no entreposto de pesca do Porto Novo. Trata-se de uma das festas mais tradicionais da cidade, com a deliciosa tainha na brasa, doces caseiros, artesanato e música de qualidade. O evento é organizado pela associação de pescadores daquela região, com apoio da prefeitura.  Entre 15 e 19 será realizado o Festival do Camarão, na praça da Cultura(antiga praça de eventos no centro da cidade), com gastronomia a base de camarão, artesanato e também música de qualidade. Os dois eventos resgatam e valorizam a vida caiçara.     

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Justiça




OAB cobra do Estado retomada das obras do novo fórum de Caraguá.

Caraguatatuba pede que sejam retomadas obras de fórum local
Luiz Tadeu, Pedro Silva, Marcos Couto e Diogo Nogueira, OAB Caraguá.
A diretoria da Subseção de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo, se reuniu anteontem ( dia 23) com a primeira vice-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputada Maria Lúcia Amary, e com o secretário de Justiça, Aloísio de Toledo César, para pedir que sejam retomadas as obras do fórum cível local. De acordo com a comitiva, formada pelo presidente da OAB local, Pedro Luiz da Silva, pelo vice-presidente Diogo Nogueira, pelo secretário adjunto, Marcos Lopes Couto, e pelo conselheiro Luiz Tadeu de Oliveira Prado, o encontro foi positivo: “A promessa é de que até agosto, o processo licitatório seja retomado”, informou Silva.

A construção do novo fórum de Caraguá foi uma conquista do juiz diretor do fórum, Dr. João Mário Estevan da Silva, que contou com o apoio do prefeito Antonio Carlos da Silva, do então deputado estadual e presidente da assembleia Samuel Moreira e da OAB local. A prefeitura doou uma área de 8 mil m2, no Jardim Aruan, para a construção do novo prédio, cujo projeto previa a execução de 5 mil m2 de área construída. O projeto previa a construção de três pavimentos com elevador onde seria alojado todos os setores do judiciário local, com exceção do Anexo Fiscal e do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania.    

A ordem de serviço para início das obras foi assinada em abril do ano passado com a previsão de que seriam finalizadas em doze meses. A construtora contratada teve problemas e abandonou o serviço ainda ma fase de fundação. A partir daí, as obras ficaram interrompidas. O atual prédio, construído na década de 60, não comporta mais a demanda dos serviços e enfrenta muitos problemas estruturais. Além da OAB , da prefeitura, da assembleia legislativa e do judiciário local, a comunidade caraguatatubense também cobra a retomada das obras.  

Prédio atual, da década de 60.
Marcos Couto lembrou que o fórum da cidade tem mais de 40 anos e já não atende às expectativas da advocacia e dos jurisdicionados. “Se você analisar a estrutura que a cidade exigia há 40 anos e as necessidades atuais, são completamente diferentes. A cidade cresceu muito e, tal qual na maioria dos municípios, há uma demanda muito grande pela Justiça.” Por sua vez, Pedro Silva destacou que foram feitas reformas no antigo fórum, para melhor adequar os advogados que se utilizam do local. “Fizemos algumas melhorias estruturais, mas é importante frisar que o novo fórum trará mais benefícios à advocacia”. O conselheiro Luiz Tadeu complementa que a cidade conta com três juízes cíveis, um criminal e um do Juizado Especial Cível e Criminal, e que uma das preocupações é com a rotatividade desses juízes: “Por ser uma comarca intermediária, tem uma rotatividade muito grande de juízes. O juiz que chega à cidade tem de ler todos os processos de novo, dificultando o andamento dos processos”. 


 

 

terça-feira, 23 de junho de 2015

Reforma municipalista


Política

         É hora de fortalecer os municípios

 

Prefeito Antônio Carlos da Silva
Lembro muito bem do governador Franco Montoro. Gostava do seu estilo de governar. Convive com o governador Mário Covas, com jornalista da Folha e, depois, como secretário de Comunicação da Prefeitura de Caraguá . O “espanhol” também merecia todo o nosso respeito e admiração. Foram políticos e administradores que pensavam nas futuras gerações e, não, nas futuras eleições. Ambos, quando governadores, sempre procuraram fortalecer os municípios. Hoje, vejo o prefeito Antonio Carlos da Silva, aqui de Caraguá, pregar alguns dos princípios municipalista defendidos por ambos.

O prefeito, que pretende encerrar sua carreira política ao concluir seu quarto mandato, em dezembro de 2016, tem “batido” muito nesta tecla do fortalecimento dos municípios. Em quase todos os seus encontros, reuniões e inaugurações, o prefeito aborda esta questão do fortalecimento do municipalismo. Não tenho visto nenhum deputado, seja estadual ou federal, colocando este assunto em discussão. Na Câmara e no Senado, ocorre a mesma coisa, apesar de estarmos em plena discussão de uma nova reforma política e também, tributária. E, muitos deles, exerceram o cargo de prefeito. Outros, acredito que, a maioria deles, mantém relação constante com prefeitos, pois dependem do apoio deles para suas reeleições.

Antonio Carlos tem insistido, com sabedoria, na tese do fortalecimento dos municípios. Ao defender a tese municipalista, o faz, com muita experiência administrativa. É um prefeito e político “muito a frente de seu tempo”. Em seus discursos, sempre faz questão de lembrar que “62% da arrecadação fica com a União; 25% com o Estado; e, 13% com os Municípios”. Antonio Carlos vai mais além: “a União e o Estado informam as estatísticas do desemprego ou de uma epidemia, mas o município sabe o nome e o endereço das pessoas desempregadas ou doentes e, mais, são responsáveis em encaminha-los ao mercado de trabalho e de tratá-los.”

Está certo o prefeito. É preciso aumentar a arrecadação dos municípios. É preciso dar mais autonomina aos prefeitos. São eles quem tem contato direto com os moradores. Quem vive em São Paulo ou Brasília vive distante das reais necessidades da população ou até mesmo dos municípios. A gente percebe que deputado estadual ou federal procuram os prefeitos ou visitam os municípios sempre as portas das eleições. Infelizmente, sempre foi assim...

Veja a nossa situação. Nós aqui do Litoral Norte, que não elegemos nenhum deputado estadual ou federal. Se tivéssemos elegido o Antonio Carlos Júnior, atual vice-prefeito de Caraguá, teríamos um representante nosso lá na assembleia legislativa. Tenho certeza, que Júnior, hoje, muito mais amadurecido e experiente politicamente, estaria desenvolvendo um excelente trabalho em prol de nossa região, lá na assembleia. Perdemos uma grande chance... Hoje, os prefeitos e, a nossa população, dependem da boa vontade de deputados “estrangeiros”, que vez ou outra aparecem por aqui.

Voltando ao caso do municipalismo, é interessante ver como o cidadão confunde as coisas. Veja o caso da Saúde. A situação é muito complicada na maioria dos municípios brasileiros. Por mais, que os prefeitos invistam na saúde de seus municípios, os problemas continuam. O cidadão comum quando vai a um posto de saúde ou a uma santa casa e por algum motivo não recebe o tratamento ou atenção devida, reclama dos prefeitos. É assim em toda cidade.

O cidadão esquece que boa parte dessa estrutura da saúde é de responsabilidade do Estado e da União. Você, no entanto, raramente vê alguém reclamando do governador ou do presidente, quando o assunto é a saúde. Toda insatisfação, sobra apenas para os prefeitos. Assim ocorre também na questão da segurança pública e, em outros setores. É uma coisa cultural... É preciso, no entanto, mudar isso. O prefeito tem suas responsabilidades e, muitas, mas o cidadão tem que enxergar e entender que nem sempre tudo depende deles (prefeitos).

Essa realidade poderia mudar como fortalecimento do municipalismo. Essa idéia defendida por Antonio Carlos. Com mais recursos e, não apenas os 12% repassados, hoje, o município poderia investir mais na saúde e até mesmo na segurança pública. Aí sim, o cidadão, poderia “cobrar” mais do prefeito. A relação de “proximidade” entre cidadãos e prefeitos facilita as cobranças e reivindicações. O cidadão vive no município, não no Estado ou na União. O cidadão praticamente não tem “contato” com o Estado e a União. Esse “contato” depende da atuação e compromisso dos deputados estaduais e  federais, que atuam em sua região ou possuem bom relacionamento com o prefeito de sua cidade.

O municipalismo pode resultar no aumento dos recursos para que os prefeitos possam investir na melhoria de vida de seus cidadãos. Será que os deputados estariam interessados nisso? Será que eles defenderiam essa causa? Não sei não...

Penso que o fortalecimento dos municípios e, o aumento da autonomia deles, não seja bem visto pelos nobres deputados. Eles, os deputados, perderiam politicamente. Deputados, “adoram” que os prefeitos e seus cidadãos dependam deles. Trata-se de um tradicional circulo vicioso da política brasileira. Se não fosse por isso, não haveria necessidade de termos à figura do deputado. O governador ou o presidente atenderia diretamente os municípios, sem intermediação política deles... Isso seria bem interessante e geraria muita economia aos cofres dos Estados. O fortalecimento dos municípios, conforme prega o prefeito de Caraguá, Antonio Carlos, seria um avanço muito grande na política brasileira. 

 Veja: depois de muitas polêmicas na votação da proposta de reforma política, a Câmara dos Deputados aprovou até o dia 11 deste mês seis modificações na legislação atual:

- fim da reeleição;
- mandato de cinco anos para todos os cargos eletivos;
- redução da idade mínima para candidatos a senador, deputado e governador;
- restrições de acesso de pequenos partidos ao fundo partidário;
- alteração na data da posse de presidente e governador;
- permissão de doações de empresas a partidos.