Total de visualizações de página

quinta-feira, 5 de março de 2015

Fazendo a diferença


Política


        Antonio Carlos intensifica investimentos

 O prefeito Antônio Carlos estará na Caraguá FM, na próxima segunda-feira, dia 9, às 8h30, para falar sobre a questão da dengue no município. Ele decretou situação de emergência e calamidade pública para intensificar o combate a dengue na cidade, que hoje registra 754 casos e uma morte. O prefeito já determinou a contratação de 150 pessoas para agilizar a limpeza dos bairros e 22 agentes de saúde para atuarem nas UBSs e UPA. Outras medidas estão sendo adotadas, como a compra de repelentes para distribuir aos alunos da rede de ensino. Todas as vezes que o prefeito vai a rádio a audiência é muito grande. Antônio Carlos é uma pessoa muito franca e transparente. Tenho certeza de que a partir de sua entrevista na rádio, na próxima segunda-feira, o principal assunto da cidade serão as colocações feitas pelo prefeito. Sempre tem sido assim..

Foi o que ocorreu na semana retrasada quando o prefeito esteve na rádio Caraguá FM para falar sobre a revisão dos salários de cerca de 500 servidores e acabou abordando outros assuntos. Logo após a participação dele, a cidade inteira comentava suas declarações. Principalmente, os investimentos previstos para os próximos dois anos. Já comentei por aqui, que a maioria das prefeituras de nossa região ( e de todo o País), passa por muitas dificuldades financeiras. Aqui, em Caraguá, a situação é totalmente diferente. E, surpreende. Por que será? Algumas prefeituras, em dificuldades, possuem orçamento muito superior ao de Caraguá, mas mesmo assim continuam enfrentando muitos problemas e suspendem investimentos, pois quase não conseguem pagar seus servidores e fornecedores. Na rádio, ele disse que a prefeitura tem em caixa, atualmente, mais de R$ 135 milhões e, que continua investindo em melhorias. Logo após sua entrevista muitas pessoas vieram conversar comigo para saber o que ele tinha falado. Outros, para saber as obras programadas. Outros para falar que o prefeito só pensa em obras. Na entrevista concedida à Caraguá FM, Antonio Carlos, falou sobre a necessidade de rever salários de cerca de 500 servidores, que foram aumentados erroneamente ao longo dos últimos anos e aproveitou para detalhar alguns de seus investimentos. Vejam a relação das obras em andamento em 2015: construção do UPA no bairro do Perequê Mirim;  construção de escola de Educação Infantil no bairro do Jaraguazinho;  construção de creche no Portal Fazendinha (Getuba);  reforma e ampliação da creche do Sertão dos Tourinhos (Massaguaçu); reforma estrutural da base de transbordo (onde é armazenado o lixo antes de seguir para a cidade de Tremembé); construção do Centro dia do Idoso no Jardim Jaqueira; e, pavimentação nos bairros Pereque Mirim, JardimTarumãs, Morro do Algodão, Martim de Sá e Portal Patrimonium.
Não termina aí não...Tem muito mais. O prefeito também divulgou as obras que estão em licitação e contratação e não são poucas não...Confira: urbanização da orla do Massaguaçu, construção e implantação  de academia de ginástica na praça Tom Ferreira, construção da sede do Arquivo Municipal e da Biblioteca Municipal, reforma e ampliação de praças e centro comunitários, construção de escolas , reforma e ampliação de 25 unidades escolares, reparo no pavimento em ruas prejudicadas pelas obras da Sabesp. A cidade receberá ainda mais investimentos, confira as obras programadas e em processo licitatório: construção do novo paço municipal, construção da sede da Guarda Municipal, reforma de 27 unidades escolares (totalizando 52 unidades), construção de mais uma escola no Pereque Mirim, construção do Centro Educacional Infantil do Gaivotas, construção da escola de música de Caraguá, pavimentação de 78 ruas em dez bairros, construção de passarelas interligando as praias do Camaroeiro à Prainha, ampliação do píer do Camaroeiro, reforma e revitalização da antiga praça de Eventos, cobertura do Centro de Eventos do Porto Novo e reforma e revitalização de ciclovias.
Muita gente de Caraguá e, até mesmo das cidades vizinhas, pergunta: Como ele consegue fazer tanto? Muita gente pensa e até suspeita que o governo estadual tem sido mais gentil com o Antonio Carlos. Puro engano. Antonio Carlos é Antonio Carlos, uma pessoa simples, que venceu na vida, graças ao trabalho e ao aproveitamentos das oportunidades surgidas em sua vida. Quando chegou à Caraguá, na década de 90, já era rico, muito rico, mas sempre foi simples...Aqui, percebeu que nossa cidade tinha muito futuro, mas não tinha gestão. Sensibilizado por amigos, entrou na vida política e depois na vida pública. Como prefeito procurou agilizar as necessidades da cidade. Empresário de sucesso, adotou linha empresarial na administração pública. E, a cidade mudou da água para o vinho. Os caiçaras são testemunhas vivas dessa mudança...
Acontece que quem chegou por aqui nos últimos dez anos, poucas informações tem sobre como era essa cidade antes de Antonio Carlos. O prefeito que mais realizações fez na história do município nunca foi de divulgar suas obras e, nem de fazer politicagem. Politicagem, no sentido de, fazer oba oba com servidor público, dar tapinha nas costas das pessoas e fazer promessas nunca cumpridas. O estilo dele é outro. Quando precisava agir como político não perdia eleição. Prova disso é que o PSDB jamais perdeu uma eleição no município, seja para governador, seja para presidente...Como prefeito Antonio Carlos transformou uma cidade esquecida e fez dela- evidentemente, como apoio de sua equipe e dos moradores(servidores públicos,comerciantes e empresários) a cidade de melhor infra-estrutura do Litoral Paulista. Olhe para o nosso comércio: diversificado, bem estruturado e a cada dia mais e mais gente vindo investir por aqui. Você acha que se a cidade não tivesse recebido tantas benfeitorias teríamos tantos investimentos por parte da iniciativa privada. Será que teríamos um comércio tão diversificado e estruturado. Será que teríamos tantos empregos no comércio ( infelizmente, grande parte das vagas ocupadas por pessoas de outras cidades, justamente, pela falta de mão de obra qualificada).  Será que sem investir em pavimentação, iluminação, pontes de concreto, escolas, postos de saúde, creches, centro esportivos, polos culturais a cidade estaria melhor? Por que será que chega por aqui, diariamente, cerca de seis famílias de outras cidades e estados? Faltando dezoito meses para as eleições que irá definir quem será seu sucessor, muita gente me pergunta, quem irá substituir Antonio Carlos? O próprio prefeito responde: não é hora de pensar nisso, é hora de trabalhar...  
Outros moradores, principalmente, opositores ao prefeito ou, ao seu partido PSDB, insinuam que Antonio Carlos só pensa em obras, em concreto e não, nas pessoas...Trata-se de um pensamento muito pequeno demais. Vejam: Antonio Carlos foi o responsável pelo maior investimento já feito em saneamento básico em nossa cidade. Chegou a emprestar dinheiro à Sabesp para agilizar as obras de esgoto em nossa cidade.  Saneamento básico é saúde, garante melhores condições de vida para todos. Evita morte de crianças e permite que os turistas freqüentem nossas praias, gerem emprego e tragam dinheiro para os nossos comerciantes, que por sua vez, investem em contratações. Ele foi o responsável pelas construção das melhores escolas da região, investiu na qualificação dos professores e garantiu que servidores e seus filhos tivessem acesso ao ensino superior com ajuda da prefeitura. O prefeito também foi o responsável pela construção de 18 ginásios de esportes (a cidade tinha um único ginásio coberto) e diversificou a atividade esportiva. Nossa estrutura esportiva é tão diferenciada que em dez anos Caraguá sediou por seis vezes os jogos regionais.  Hoje só não pratica atividade esportiva quem não quer. No setor cultural, o prefeito foi o idealizador da Fundação Cultural, na época incentivado pelo médico Pedro Norberto. Hoje, a fundação cultural( e suas escolinhas e oficinas) está presente e atuante nas regiões norte, sul e centro. Foi o prefeito também quem trouxe os cursos técnicos do IF(Instituto Federal) e da Etec(Escola Técnica do Estado). Caraguá é a cidade que mais tem investido na acessibilidade, no idoso, nas pessoas com deficiências. O prefeito investiu e muito na saúde, chegou a intervir na Santa Casa e conseguiu que o governo do Estado construa o Hospital Regional, aqui, em Caraguá. Se o turismo é nossa principal fonte de renda, foi a partir de Antônio Carlos que os eventos foram valorizados, posteriormente vieram a praça de eventos e o Centro de Eventos do Litoral Norte. Tudo para atrair cada vez mais turistas e com isso gerar emprego e renda. Recentemente, o prefeito aderiu ao programa Minha Casa Minha Vida, para garantir casa própria para as pessoas mais necessitadas. Foram entregues 720 casas e vem muito mais por aí.  Agora eu pergunto? O prefeito só pensa em obras?  É claro que a cidade precisa ainda de muitas coisas. O atual prefeito não pode fazer tudo. Muita coisa ficará para o próximo(s) prefeito(s). Vamos ver como irá se comportar o(s) seu(s) substituto(s)... O futuro dirá...         
          

quarta-feira, 4 de março de 2015

Atitude


Dengue

 

Antonio Carlos declara estado de emergência e de calamidade pública

 

A dengue continua preocupando as autoridades em todo o País e, aqui, em Caraguá, não poderia ser diferente. O prefeito Antonio Carlos da Silva preocupado com o avanço da dengue no Estado e com as previsões feitas pelas autoridades da Saúde de que os casos podem crescer e muito nas cidades paulistas decidiu declarar ontem, dia 3, estado de emergência e calamidade pública em nossa cidade. A situação atual é preocupante, mas não é das mais graves. É bom explicar. Tivemos por duas vezes epidemia, em 2010, com 3.656 casos positivos e, em 2013, quando foram contabilizados 1688 casos de dengue. No ano passado, Caraguá registrou 1543 casos de dengue. Este ano já temos 754 casos positivos (até hoje, quarta-feira, dia 4) e uma morte. Tivemos 472 casos em janeiro e, em fevereiro, 279 casos positivos. Houve uma queda no número de casos de dengue. Este mês, até hoje, foram três casos. Tudo indica que os casos da doença poderão ser reduzidos, mas o prefeito, diante dos prognósticos feitos pelo Estado decidiu adotar uma atitude mais rigorosa para justamente tentar evitar uma situação mais crítica. E, o decreto, permitirá justamente isso, uma ação mais efetiva e firme para que a gente possa impedir o avanço da doença em nosso município. Antonio Carlos envolveu todo o seu secretariado nesta ação que deverá contar com grande apoio de nossa população. A prefeitura investirá na contratação de mais gente para limpar a cidade, principalmente, entulhos; comprará repelentes para distribuir na rede de ensino e aos servidores; ampliará o sistema de atendimento no UPA e nas UBSs; fará ampla campanha nas redes sociais, nas rádios e jornais; envolverá as associações, as entidades de classe e a igreja católica e evangélica; e, principalmente, procurará contar com a ajuda dos moradores para que os criadouros do mosquito transmissor seja eliminados e com isso, possamos reduzir os casos de dengue. É bom lembrar que existe uma lei aprovada pela Câmara, em dezembro, de autoria de um dos vereadores, que garante multa ao munícipe que atender as orientações dos agentes de saúde no caso da dengue, ou seja, se o agente visitar a casa e sugerir medidas preventivas e o morador não acatá-las, quando o agente retornar à residência poderá multar o morador. A multa varia de R$ 100,00 a R$ 500,00. A partir de segunda-feira, dia 9, Antonio Carlos estará nas rádios, na TV, redes sociais e jornais dando o pontapé inicial a campanha de combate a dengue. Se todos nós nos envolvermos o resultado será dos melhores. Cada um tem que fazer a sua parte e todos juntos poderemos minimizar os efeitos da dengue em nosso município.

A Secretaria de Comunicação prepara um material dos mais interessantes para ser explorado na campanha. São curiosidades que podem e devem tirar as dúvidas da população. Técnicos da área de saúde foram consultados. O resultado é muito interessante e esclarece perguntas e atitudes muito freqüentes em nosso dia a dia. Vale à pena entrar no site da prefeitura e conferir. Entre alguns dos assuntos abordados estão:

1-Dengue atinge mais adultos do que as crianças?

A dengue atinge adultos e crianças, igualmente. Os sintomas da dengue em crianças costumam ser mais leves, parecidos com qualquer outra virose. A doença também pode se agravar e colocar até em risco a vida da criança, por isso o diagnóstico é importante. Crianças alimentadas com leite materno estão mais protegidas contra a dengue.

2- Tratamentos alternativos são válidos ou não?

Não há comprovação cientifica de que tratamentos alternativos evitem ou curem a dengue.

3- O mosquito da dengue só ataca da canela para baixo?

O mosquito prefere a região das pernas, mas se elas estiverem cobertas, ele vai picar o braço ou qualquer outra área exposta do corpo, inclusive o rosto.

4- A dengue atinge animais de estimação?

Cães, gatos e pássaros não pegam dengue. O mosquito gosta de seres humanos.

5- É verdade que o mosquito da dengue não chega aos andares mais elevados dos prédios?

Morar em andares altos de prédios não livra o morador de contrair a dengue. É que o mosquito pode chegar aos andares mais elevados através do elevador.     

segunda-feira, 2 de março de 2015

Dengue


Sabesp
 
Crise hídrica pode vir a prejudicar o Litoral Norte


A Sabesp enfrenta sérios problemas com a crise hídrica no Estado, principalmente, na capital e, em cidades do interior. As chuvas recentes melhoraram as condições dos mananciais, mas a preocupação continua grande por parte das autoridades. Aqui no Litoral Norte, não tivemos desabastecimento de água durante a temporada. E, tudo indica que, não teremos falta de água. O trabalho desenvolvido pela empresa aqui na nossa região foi dos mais elogiáveis. Acontece, que recentemente, a Sabesp começou a demitir funcionários. Muita gente aqui do Litoral Norte foi dispensada. O prefeito de Caraguá, Antônio Carlos, tentou intervir para evitar as demissões, mas não obteve sucesso em suas conversas com a direção da empresa. As demissões são inevitáveis, segundo informações de funcionários já demitidos e,  ocorrem em todo o Estado, atingindo principalmente, os funcionários que já estavam aposentados e continuavam prestando serviços para a empresa. O que mais preocupa a gente, que vive aqui no Litoral Norte, é a possibilidade da Sabesp, em função, da crise hídrica, que tudo indica também é financeira, venha a prejudicar ou suspender as obras de saneamento básico programadas para as nossas cidades. Se isso ocorrer, o Litoral Norte estará pagando muito caro pela falta de planejamento da Sabesp. Nossa região não pode ser penalizada por isso.  Aqui em Caraguá, por exemplo, a prefeitura aguarda a implantação de saneamento básico (rede de esgoto) no bairro do Jardim Gaivotas, para iniciar a pavimentação nas ruas do bairro. A prefeitura não pode e nem deve fazer isso (pavimentação) sem que as moradias recebam a rede de esgoto, pois teria que “quebrar” o asfalto posteriormente para pavimentar as ruas. Os moradores do bairro vivem cobrando providências da prefeitura neste sentido, mas ela depende da Sabesp para agilizar e atender a principal reivindicação do Gaivotas. Essa situação pode se repetir em outros bairros ou cidades. Esperamos que o governador Alckmin e a alta direção da Sabesp não permitam que os investimentos previstos para a nossa região sejam suspensos devido a crise vivida pela empresa na capital e nas cidades do interior do estado cortados. Vamos aguardar...

 Dengue

 É preciso um maior envolvimento dos moradores.

 
A dengue chegou com tudo em nossa região e, na maioria, das cidades paulistas. Aqui em Caraguá ainda não chegamos ao estágio de Epidemia, mas a situação preocupa o prefeito Antonio Carlos e as demais autoridades. Segundo avaliação feita pelo Estado existem três estágios para a dengue: Alerta, Emergência e Epidemia. Pois bem, estamos vivendo o segundo estágio: “Emergência”. A Prefeitura tem feito a parte dela e deverá intensificar ainda mais suas ações, tipo, mutirão de limpeza para retirada de entulhos, onde prolifera o mosquito transmissor da dengue; visita casa a casa; e, ampliar o atendimento nas UBSs. É bom lembrar que os m oradores devem ajudar, evitando deixar recipientes nos jardins ou quintais, justamente, para impedir que eles se transformem em locais de proliferação do mosquito transmissor da doença. Não deixar água nos vasos, limpar os ralos e calhas e evitar deixar recipientes, que possam se transformar em criadouros tem que ser tarefa diária por parte de todos. A dengue é muito dolorosa e, pode levar a morte. Quem já contraiu a doença, sabe do que estou falando. Os riscos são enormes. Tivemos na cidade duas epidemias de dengue. Em 2010 registramos 3656 casos oficiais; em 2013, foram 1687 casos positivos. No ano passado, 2014, não tivemos epidemias, mas o número de casos foi grande: 2176 moradores contraíram a doença. Este ano, 2015, a situação não é diferente: em janeiro tivemos 469 casos confirmados e, em fevereiro, 246 casos positivos, ou seja, em dois meses  tivemos um total de 715 casos da doença e uma morte. Segundo as autoridades da área, tudo indica que, os casos de dengue poderá aumentar. A prefeitura está investindo no combate aos criadouros; na conscientização; e, no tratamento médico, mas nós, moradores, também temos que fazer também a nossa parte.  Juntos, poderemos impedir que ocorra por aqui uma nova epidemia.  Em caso de dúvidas, ligue para o disque Dengue: 3897-6888.     

           Conheça os bairros com maior número de casos de dengue  

 Registramos 715 casos positivos de dengue nos dois primeiros meses do ano. O maior número de casos da doença ocorreu na região Sul, com 258 casos; o Centro registrou 227 casos; e, a região Norte, 128 casos. O bairro com maior número de casos positivos de dengue é o Jaraguazinho, com 106 pessoas infectadas. Em segundo lugar, vem o bairro do Travessão com 78 casos; em terceiro, o bairro do Olaria com 72 casos; em quarto lugar, o bairro do Perequê-Mirim, com 66 casos; em quinto lugar, o bairro do Pegorelli com 40 casos; em sexto lugar, o bairro Martim de Sá, com 39 casos; em sétimo, o bairro do Morro do Algodão, com 26 casos; em oitavo, o bairro Massaguaçu, com 21 casos; em nono lugar, o Centro da cidade com 17 casos; e, em décimo, o Sumaré, com 14 casos. Nos demais bairros a situação é a seguinte: Indaiá, tem 9 casos; o Estrela Dalva tem 12 casos; a Cidade Jardim, 10 casos; o Poiares, 8 casos; a Prainha, dois casos; o Ipiranga, dois casos; e, a Tabatinga, um caso.  

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Naufrágio


Literatura

 

Ilhabela tem lançamento de novo livro sobre o naufrágio do navio Príncipe das Astúrias.

 

Recebi o convite feito pela prefeitura de Ilhabela, pelo Museu Náutico e editora Moderna para comparecer ao lançamento do livro “Príncipe das Astúrias. O Titanic Brasileiro”, de autoria da escritora Isabel Vieira. O lançamento do livro acontece sábado, às 19 horas, na sede da prefeitura da ilha.

 
Sempre tive muita curiosidade em descobrir cada vez mais sobre o naufrágio do Príncipe das Astúrias. Escrevi muitas coisas sobre aquele que sempre foi considerado o maior naufrágio ocorrido em águas brasileiras. Em todas as minhas reportagens sempre contei com a ajuda do escritor e mergulhador Jeannis Platon, de Ilhabela, para mim e para muitos jornalistas, considerado o maior pesquisador sobre o navio. Jeannis praticamente dedicou boa parte de sua vida, mais de 40 anos, pesquisando o naufrágio do Príncipe das Astúrias.

 
Jeannis tem um farto acervo do navio, bem como, depoimentos de sobreviventes e parentes das vítimas, coletados na Espanha e na Argentina. Na década de 90, fui selecionado pela Folha para cobrir uma solenidade, que iria ocorrer em Buenos Aires, envolvendo o então presidente Collor de Melo e o da Argentina, ocasião em que o Brasil faria a entrega de parte da carga (estátuas) do navio às autoridades daquele país. A solenidade acabou sendo cancelada.    

 

Navios Titanic e Astúrias foram construídos pelo mesmo estaleiro.
Jeannis sempre sonhou em levar para as telas da TV ou do cinema a história do naufrágio do Príncipe das Astúrias. Espero que ele não tenha desistido dessa idéia. Li livros e assisti um documentário sobre o naufrágio. Vou ler o livro da Isabel Vieira, que contém um pouco de ficção, mas ainda continuo acreditando, com base nas conversas com Jeannis, que a história renderia um bom filme. Segundo Jeannis para que isso fosse concretizado bastaria encontrar um bom diretor e financiamento para o filme. Quem sabe no ano que vem, quando o naufrágio completará 100 anos, o filme possa chegar chegue às telas da TV ou dos cinemas. O Titanic foi um sucesso no mundo inteiro e acredito que à história do Príncipe das Astúrias, não será diferente...

  

O naufrágio do transatlântico Príncipe das Astúrias, uma das maiores tragédias marítimas brasileiras, ocorrida há 99 anos, em Ilhabela, no Litoral Norte, tem todos os ingredientes necessários para se transformar em documentário de tv ou filme de sucesso. O escritor e mergulhador Jeannis Platon, tem amplo e farto material sobre o naufrágio do navio, ocorrido no dia 5 de março de 1916, na Ponta da Pirabura, em Ilhabela. Jeannis relatou detalhes do acidente em seu livro “Ilhabela e seus Enigmas”, atualmente, em sua quarta edição. Para Jeannis o roteiro do naufrágio do Príncipe das Astúrias pode repetir o mesmo sucesso do filme Titanic, de 1997, com direção de James Cameron e estrelado por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, que quebrou recordes de bilheterias no mundo todo. Ele garante que o acidente com o Príncipe das Astúrias teria sido mais trágico do que o ocorrido com o Titanic, na costa norte-americana em 1912. Um detalhe interessante: os dois navios foram construídos pelo estaleiro Kingston de Russel &Co, na Escócia. O Titanic, com 269 metros de comprimento e 43.328 toneladas de peso, foi construído em 1911. O Príncipe das Astúrias, com 150,8 metros de comprimento e 16.500 toneladas, foi fabricado três anos depois, em 1914.

 

                                        Acidente ocorreu durante a madrugada

 
Navio Príncipe das Astúrias

O naufrágio do Príncipe das Astúrias é considerado o maior já ocorrido na costa brasileira. O transatlântico fazia sua sexta viagem entre Barcelona e Buenos Aires quando naufragou no dia 5 de março de 1916 na costa de Ilhabela. Segundo informações, o comandante do navio José Lotina, de 34 anos, teria cometido um grande erro ao navegar em velocidade acima do limite sob densa cerração. A embarcação colidiu contra uma laje na Ponta da Pirabura e afundou em poucos minutos. Como o acidente ocorreu durante a madrugada, a maioria dos tripulantes encontrava-se dormindo no momento da colisão. Oficialmente, perderam a vida no naufrágio um total de 477 pessoas, entre passageiros e tripulantes. Os sobreviventes foram resgatados pelo navio francês Veja, que navegava do Rio de Janeiro em direção a Santos. Como o navio tinha capacidade para 1890 passageiros, suspeita-se que o número de mortos pode ter ultrapassado a mil pessoas. Segundo Jeannis, o navio levava cerca de 800 imigrantes clandestinos, todos instalados nos porões, entre eles, judeus e europeus que fugiam da guerra. “Na época, não era comum relacionar os passageiros que não estivessem alojados na primeira e segunda classe. O Príncipe das Astúrias era um navio fita azul, de primeira categoria. Tinha 150 cabines com luxuosa decoração”, conta Jeannis. O navio pertencia à empresa espanhola Pinillos, Ysquierdos Y Cia. 

 

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Pesca tecnológica


Tecnologia

 

               Pescador tem cartão com chip e monitoramento  de embarcação.

 
pescadores no LN. Foto:Unicamp
O governo federal começa a usar a tecnologia para combater fraudes e fiscalizar a pesca amadora e profissional no país. O Ministério da Pesca começou a substituir a tradicional carteira de pescador por um cartão de plástico com chip, idêntico aos cartões de crédito. O cartão funcionará como uma carteira de habilitação. O objetivo é combater as fraudes praticadas por falsos profissionais que utilizam a atual carteira de pescador para ter direito ao pagamento do seguro desemprego e ao seguro defeso- período onde os pescadores ficam impedidos de pescar, para que a espécie (camarão ou peixe) possa se reproduzir. Durante o defeso os pescadores recebem um salário mensal do governo.  Com o novo modelo de cartão “chipado” as autoridades acreditam que poderão acabar com as fraudes que existem no pagamento dos benefícios destinados aos pescadores artesanais.   

A modernização da pesca também atingirá os proprietários de embarcações. A partir do segundo semestre todas as embarcações vão ganhar um chip de rastreamento por radio freqüência. Com isso as autoridades poderão levantar os locais das pescarias e inclusive, a época, para com isso combater a pesca ilegal no período do defeso de algumas espécies. O governo alega que as medidas são necessárias para facilitar a fiscalização e combater a pesca ilegal. O uso da tecnologia na fiscalização da pesca também permitirá ao governo dar maior assistência ao pescador, ampliando-se as linhas de crédito destinado à categoria e também na comercialização do pescado.   

O Litoral Norte tem quatro Colônias de Pesca: A Benjamin Constant, Z8, em Caraguá, presidida pelo José Roberto Carlota; A Ministro Fernando Costa, Z-10, presidida por Jerry Eduardo Morais, de Ubatuba;  A Colônia Z-14 “Almirante Tamandaré” de São Sebastião, presidida por Acácio Waldomiro da Luz; e, a Colônia de Pesca de Ilhabela. Existem cerca de 2.500 pescadores cadastrados pelo Ministério da Pesca. A colônia com maior número de pescadores inscritos é a de Ubatuba( cerca de 1.200 cadastros); vindo a seguir, São Sebastião(cerca de 600 cadastros: e depois Ilhabela(cerca de 400 cadastros).  
 
Seu Bidico foi homenageado em Caraguá.
A colônia de Caraguá é considerada a mais rica em patrimônio na região, mas tem apenas 250 pescadores cadastrados. O pescador mais antigo em atividade em Caraguá é o Bidico (Benedito  Joaquim do Nascimento), morador do bairro do Camaroeiro, hoje, com 83 anos. Conversando com os pescadores, todos são unânimes em afirmar que a pesca já foi melhor na região. Hoje, está muito difícil a captura de peixes na região. Uns reclamam da pesca predatória; outros da presença de barcos de outros estados que atuam na área do Litoral Norte. Tem pescador que reclama, inclusive, que o desenvolvimento turístico ocorrido na região, afastou os pescadores das praias, o que teria dificultado e desestimulando a continuidade da atividade.

Segundo informações obtidas na colônia de pesca de Caraguá, as novas carteiras com chip já estão sendo distribuídas na região, a partir de um recadastramento feito pelo Ministério da Pesca.  Foram entregues cinco delas em Caraguá; 18 em Ubatuba; 14 em São Sebastião; e, 12 em Ilhabela.  O restante será entregue até o mês de junho próximo. A medida é vista com bons olhos pelos pescadores que vivem e dependem da pesca. Eles acreditam que com o cartão “chipado” e o chip nas  embarcações muita gente, que não depende da pesca para sobreviver, terá dificuldades em obter o registro de pescador e ter acesso aos benefícios concedidos pelo governo federal.   

No segundo semestre do ano passado os presidentes das colônias estiveram em Brasília para fazer algumas reivindicações ao Ministério da Pesca, que segundo eles, visam melhorar e viabilizar a atividade de pesca profissional artesanal na região. Eles reivindicaram algumas medidas burocráticas como  Melhorias na questão de emissão e recadastramento da carteira de pescador; Revisão ou edição da Instrução Normativa Interministerial nº 10/2011 e Suspensão da Instrução Normativa Interministerial nº 12/2012.

Por outro lado, fizeram também reivindicações legais como uma maior participação do Ministério da Pesca nas questões referentes a vazamento de óleo no Litoral Norte; apoio do Ministério junto aos órgãos estaduais para viabilizar a redução e/ou isenção do ICMS incidente sobre o pescado; mais  agilidade no licenciamento dos cultivos aquícolas em águas de domínio da união;  e, mais facilidade no acesso ao crédito ao PRONAF – Programa Nacional de Agricultura Familiar.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Minha Casa Minha Vida

Casa Própria
 
Comprar a casa própria é o sonho de muita gente. Aqui, na nossa região, isso nem sempre foi muito fácil, pelo menos para as famílias de baixa renda. Elas dependem das administrações municipais, do governo do estado e do governo federal. O CDHU(Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano) chegou a construir alguns conjuntos residenciais por aqui, depois interrompeu os investimentos. Acredito que por dificuldades em obter áreas.  Como somos uma região turística os preços dos terrenos são elevados, tornando muito complicado construir casas populares para pessoas de baixa renda. O prefeito de Caraguá, Antonio Carlos da Silva, conseguiu junto ao governo federal e estadual implantar na cidade o programa Minha Casa Minha Vida. Foram entregues 720 casas no Travessão, no Residencial Severina Luiz dos Santos. Outras 500 moradias estão em fase de construção no Jetuba. A prefeitura viabiliza a construção de outras 700 casas no Travessão. Todas essas  construções são destinadas as famílias cuja renda familiar não ultrapasse a R$ 1.600,00. Até 2012 o governo federal investia na faixa de até trê salários. A partir daquele ano, passou a construir para atender as famílias que atingem até dois salários. Muita gente ficou de fora do programa por ultrapassar a renda exigida. Algumas pessoas beneficiadas acabaram desistindo da moradia por achar que a casa ficava muito longe do seu local de trabalho ou da escola dos filhos. Quem estava inscrito no programa acabou ficando com a casa. A procura por moradias é grande demais. Os programas que vem sendo executados pela prefeitura mexeram com a cidade. Por onde se anda, todos falam e sonham coma possibilidade de obter sua casa própria. Muita gente procura a Secretaria da Habitação, que fica atualmente onde funcionava o Ditran, na avenida da praia ou a própria CEF. Segundo dados da Secretaria de Habitação de Caraguá existem mais de 10.000 famílias inscritas nos programas habitacionais de Caraguá. Existem outras faixas do programa Minha Casa Minha Vida para famílias com renda maior, como o Faixa 2, para renda familiar até R$ 3.200,00. Tem um projeto em desenvolvimento no bairro do Morro do Algodão. Esses projetos são desenvolvidos sem a participação da prefeitura, do Estado e da União, ou seja, sem a participação do poder público. As construtoras negociam direto com a Caixa Econômica Federal e coloca as unidades a venda no mercado. As moradias custam um pouco mais. Acredito que Caraguá terá outros programas habitacionais para atender a demanda atual. Seria bem interessante um projeto habitacional voltado para atender o servidor público municipal. Muita gente que trabalha na Prefeitura ainda vive de aluguel. Tem ainda o pessoal que vive em área de risco. São famílias que precisam deixar suas moradias ameaçadas por alagamento ou deslizamento. Tenho notado o empenho do prefeito Antônio Carlos em procurar intensificar suas ações no sentido de poder atender a toda essa gente. As secretarias de Habitação e do Social trabalham em conjunto buscando agilizar essas ações. Um trabalho dos mais sérios...

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Turismo


Atendimento

Seu Antônio, um exemplo a ser seguido.

 
Seu Antônio
Já contei aqui, em 2012, a vida de Seu Antônio Roberto Barbosa, de 83 anos, pai do meu amigo Ari, do Quiosque Canto Bravo, um dos mais procurados da praia Martim de Sá, em Caraguá. Sempre que posso, no finalzinho da tarde, passo lá no quiosque, para conversar com o Seu Antônio. É um prazer muito grande ver como ele recebe as pessoas, principalmente, veranistas e turistas. Sempre dedicado e alegre. Seu Antônio é um exemplo de como se deve receber nossos visitantes. A maioria dos veranistas e turistas se encanta com o Seu Antônio. Trata-se de um homem simples e humilde, consciente, de que receber e atender bem as pessoas, enobrece a todos.   

Gosto de conversar com Seu Antônio. A gente fala das pessoas antigas da cidade e  relembra coisas do passado. Comentamos sobre o crescimento e desenvolvimento de Caraguá e do importante trabalho desenvolvido ao longo dos anos pelo prefeito Antônio Carlos. A cidade mudou e muito. Não para de crescer. É a cidade das oportunidades. Gosto de ver Seu Antônio recepcionar os turistas. Gosto de ver o atendimento que ele dá a todos. Seu Antônio fala com orgulho de nossa cidade, da  beleza da praia Martim de Sá, por sinal, local onde ele trabalha há cerca de 20 anos, todos os dias das 8 às 20 horas.

Rei do Coco      

Seu Antonio veio das Alagoas. Nasceu no dia 10 de outubro de 1931, na cidadezinha de Alagoas da Canoa, em Alagoas. Trabalhava na roça, junto com seus outros cinco irmãos, quando em 1951 decidiu tentar a sorte no sul do país. Pegou um pau de arara e depois de alguns dias de viagem, chegou a capital paulista. Trabalhou na roça nas lavouras do Paraná e interior de São Paulo. Passou por Santos e foi ajudar um irmão que tinha uma pensão em Ilhabela. Em seguida, foi trabalhar como servente em São Sebastião. Em 1954, veio para Caraguá.

Em Caraguá, com a mulher a mulher Aurelina e dois filhos Toninho e Leni, começou vida nova trabalhando em uma loja de material para construção. Foi contratado pelo DER(Departamento de Estradas de Rodagem). Logo depois teve o terceiro filho, o Ari. Logo após deixar o DER foi trabalhar na Sucen (Superintendência de Controle das Endemias) onde ficou até se aposentar.

Em 1994, seu filho Ari, pretendia deixar a vida de bancário e resolveu investir na compra de um quiosque na Martim de Sá. Seu Antonio ficou a frente do negócio durante um ano. Quando Ari deixou o banco e assumiu o comércio, seu Antonio ficou responsável pela venda do coco verde. Já são mais de 19 anos no ramo. Ele chega às 8 e deixa o local lá pelas 20 horas, todos os dias, durante a temporada. É sempre atencioso para com todos. Sempre alegre, serve de exemplo e estímulo para os mais jovens.

Durante o verão, parte mais de 350 cocos por dia. Utilizando um facão, sempre bem limpo e afiado. Nunca quis utilizar aquele instrumento que perfura o coco. Prefere o facão, com o qual faz quatro cortes precisos na casca, antes de abrir o coco para o cliente se deliciar e matar sua sede. Seu Antonio adaptou uma espátula para fazer a retirada da carne com melhor aproveitamento. É difícil vê-lo triste. Sua maior tristeza foi à perda do filho Toninho, que era um craque de bola e tinha muito futuro, jogou com Dicá e Teodoro, entre outros craques da Ponte Preta. Quando adolescente, joguei bola com o Toninho.  

 Seu Antonio gosta mesmo é de falar de coisas boas da vida e de ajudar as pessoas, como o cozinheiro Geraldo Bonifácio, um dos mais antigos e conhecidos chefe de cozinha de Caraguá. Seu Antônio ajudou Geraldo a terminar sua casinha. Sente um orgulho muito grande dos filhos. Tem verdadeira adoração pelo filho Ari, hoje, um empresário de grande sucesso e respeito na cidade. Seu Antonio passou sérios problemas de saúde, mas recuperou-se. Mesmo assim, raras vezes deixou de ir trabalhar. Na verdade, seu Antônio não precisa trabalhar. Ele trabalha porque gosta e não consegue viver “vida de aposentado”. “Sempre fiz qualquer tipo de trabalho. Eu gosto de trabalhar”, afirma.